terça-feira, fevereiro 28

Folia ( II )

Após uma noite de glamour, penas, confetti, um soutien muito apertado e uma enorme bebedeira, a ressaca e um véu de vergonha apoderam-se de mim. Que triste vinha esta, de revolucionário despreocupado a descuidado pós-moderna...

ps. Após muita reflexão cheguei à tranquilizadora certeza que este é o caminho de uma efémera e tranquilizante alienação...

segunda-feira, fevereiro 27

Folia

Que época mais parva esta! Farto de desdenhar entreguei-me à deambulação pela folia e eis o que encontrei.


(Pia)da

O vírus da gripe chegou aos perús da França e aos frangos do Porto!

domingo, fevereiro 26

Babel

Todas as línguas... E eu não tenho senão uma, que não é minha... BABEL...

quinta-feira, fevereiro 23

para a malta de Electro:

Pela primeira vez em Portugal uma revista consegue fotografar mãe e filha em poses sensuais. E o resultado não podia ser melhor: Cinha e Catarina (Pimpinha) Jardim deixaram-se fotografar em poses "sexys", enquanto revelavam os seus mais bem guardados segredos, sonhos e gostos à "GQ".

Um desafio que, pela sua originalidade, desde logo convenceu mãe e filha. É que, apesar da diferença de idades, há que reconhecer que Cinha, aos 49 anos, continua a exibir uma bela figura. Está, então, explicada a sua teoria: "Sinto que esta sessão fotográfica mostra que a vida começa depois dos 40" diz à "GQ".

E se a mãe tem o "glamour", a filha, Pimpinha, revela-se uma jovem bonita e que esconde, por detrás de um estilo desportivo, uma mulher bastante elegante.

Depois da sessão fotográfica, as duas "manas" apreciaram as suas fotos e ambas concordaram que são bastante autênticas. "Estão fantásticas", dizem à revista. Ainda assim, as opiniões divergem quanto à aceitação do público.

Cinha é mais positiva, enquanto Pimpinha revela alguma cautela. "Acho que toda a gente vai adorar", diz Cinha Jardim, enquanto a filha, Pimpinha, refere na mesma entrevista: "As pessoas mais conservadoras não vão gostar da ideia". Seja como for, Cinha fica radiante sempre que fala da relação que tem com a filha e partilha que ambas vestem roupa uma da outra. "Somos praticamente duas irmãs. A Pimpinha cresceu e eu sou uma adolescente."

SENSUALIDADE À FLOR DA PELE

Pimpinha já é uma "habitué" nas capas de revistas de moda. Esta sessão fotográfica para a "GQ" já não é a primeira em que a jovem mostra toda a sua sensualidade. Este tipo de trabalho agrada aos leitores, mas não menos a Pimpinha ou Catarina Jardim, pois a própria já disse que "nestas sessões (fotográficas) sinto-me ainda mais sensual e atraente".
mais vale estar em graça do que ser engraçado (ou [quem sabe?] vir a perder a graça) [se bem que se prepara uma nova lei, eventualmente sem o beneplácito do senhor(?) deputado Ricardo Almeida, antigo dirigente da FAP]

Fernando Rosas in publico

O Ocidente e a Liberdade Esse rasto de violência e abuso praticados em nome da liberdade e da democracia como valores de um ?ocidente? intemporal e superior, conduz-nos ao equívoco central desta ideologia hierarquizadora das ?civilizações?: o da sua relação com a liberdade e a democracia.
Artigo de Fernando Rosas no Público de 22 de Fevereiro de 2006.

19 anos...

photo A morte saiu à rua num dia assim
Naquele lugar sem nome pra qualquer fim
Uma gota rubra sobre a calçada cai
E um rio de sangue dum peito aberto sai

O vento que dá nas canas do canavial
E a foice duma ceifeira de Portugal
E o som da bigorna como um clarim do céu
Vão dizendo em toda a parte o pintor morreu

Teu sangue, Pintor, reclama outra morte igual
Só olho por olho e dente por dente vale
À lei assassina à morte que te matou
Teu corpo pertence à terra que te abraçou

Aqui te afirmamos dente por dente assim
Que um dia rirá melhor quem rirá por fim
Na curva da estrada há covas feitas no chão
E em todas florirão rosas duma nação.

terça-feira, fevereiro 21

diabos, cruzes e afins...

Fugir como o diabo da cruz...

Mas porque raio havia o ddiabo de querer fugir da cruz? Porque haveria o diabo de querer fugir do simbolo que mais regozijo lhe provoca? Senão vejamos, a cruz simboliza o grande triunfo pessoal do diabo sobre deus. deus vem à terra, torna-se semelhante à sua criação, frágil... Belzebu, notando o erro do ser adversário, influencia, com bastante sucesso, a própria criação do outro para que o matem... Derrota-o conseguindo que este, parvo, confiando na sua mão, seja traido por aqueles a quem deu a vida. A cruz não anuncia senão a grande vitória histórica de uma tendência sobre a outra, e ainda se pensa que a parte vencedora não aprecia aquele que é o símbolo do seu maior triunfo? O diabo, adora cruzes... Direi mais, o diabo, corre, de braços abertos, em direção às cruzes...

Iconografia National Party

Iconografia Coreana

Iconografia Castrista

Iconografia Maoista

Iconografia Nazi

Iconografia Nazi

Iconografia soviética ( o pai dos povos )

segunda-feira, fevereiro 20

O nosso Boaventurinha no seu melhor!!

O que penso do mundo!!

UC que futuro?

Sei que normalmente o "foiumar" não discute nem polemiza sobre as questões ligadas à gestão da universidade de Coimbra mas atravessamos, na nossa universidade, uma crise gravíssima que põe em causa não só a gestão actualmente feita na UC mas o próprio papel dos alunos na gestão e desenvolvimento da UC. Pretendo por isso lançar aqui uma ampla discussão sobre o nosso, enquanto alunos, envolvimento na gestão da universidade, com base nesse entendimento lanço aqui alguns pontos, que devem ser polemizados e que reflectem a minha opinião enquanto aluno e enquanto representante dos alunos da Faculdade de Ciências e Tecnologia na Assembleia da Universidade.
1) Vivemos uma situação ímpar nas relações entre os diferentes corpos da universidade, com o claro prejuízo para a gestão democrática.
2) Esta situação ímpar resulta do comportamento dos diferentes corpos, com especial incidência do da reitoria, após todo o conturbado processo de afixação do valor máximo da propina.
3) Esta situação alterou a relação de poder, entre os diferentes corpos, sendo hoje possível gerir política e administrativamente a UC independentemente da opinião dos alunos.
4) De reitor dos estudantes a seu maior opositor temos, e tivemos uma equipa reitoral sólida e politicamente sustentada pelo pcp e pelo ps, não sendo visível qualquer indicio de desmembramento desta unidade táctica.
5) A sustentação da equipa reitoral pelo psd e pelo ps torna muito pouco viável a queda, ou descrédito publico da actual equipa reitoral.
6) A situação é de tal forma grave, que com o apoio do governo, poderemos vir a assistir a uma maior limitação dos alunos, enquanto corpo, na sua acção nos órgãos de gestão da UC.
7) Vivemos um possível marco de transformação qualitativa da forma de governo da universidade.
8) Apesar de ainda não ser muito claro, atrevo-me a dizer que seremos recordados, em especial a dg, pela capacidade que demonstrarmos em gerar entendimentos com outros corpos, tendo que assumir necessariamente um papel muito activo na promoção de outros actores para a reitoria.

sábado, fevereiro 18

vejam-se uns "desenhos" do First information center of Iranian Cartoons on web [ou a sua versão iraniana (à "primeira vista" com mais cartoons disponíveis].
fica-se a saber da realização do "International cartoon contest-Holocaust" mas também que "regarding to clarification of the issue of "Holocaust" this website possibly will be closed by United States, in this case please refer to the following addresses: www.adlroom.com, www.irfp.ir, www.sharifnews.com".
o Ruca já tem um "site"!!!
[quem não souber quem é o Ruca que clique na ligação]

sexta-feira, fevereiro 17

terça-feira, fevereiro 14

Critérios editoriais


Na SIC passam as imagens três vezes dos espancamentos. Na RTP passam três vezes as imagens até chegar aos espancamentos.

Azares



Os acidentes acontecem, pá. Um dia podes ir a conduzir para o trabalho ou para levar os putos à escola e os travões podem falhar... Ou podes ir à caça e levar um tiro acidentalmente. É o que se chama contingências da vida...

My hometown

Até agora só há três coisas que me incomodam na Marinha Grande: o facto de pertencer ao memso distrito de Fátima, o posicionamento político dos eleitores do distrito a que pertence e o posicionamento político dos seus próprios eleitores.

Saneamentos

Não aceitaria pertencer a um partido que expulsasse gente discordante com a linha política da sua direcção, mas também acho que não há lugar para gente que defenda o Hamas no partido a que também pertenço. Chamem-lhe falta de relativismo cultural mas violar os Direitos Humanos é uma coisa que me faz confusão. Inimigo do meu inimigo não é meu amigo. Folheio o jornal do Ruptura e vejo artigos em defesa do Hamas, da resistência iraquiana e do projecto nuclear do Irão. É daquelas coisas que me faz confusão, que querem? Não gosto de conviver no mesmo partido com defensores de terrorismo...

O Socialismo é mais bonito que o Capitalismo


Abaixo o Capitalismo, que é feio!

Pós Modernidade

O revisionismo é pós-moderno?

Mil e um (1001)

Se o post mil nos valeu o melhor post do Gaminha, talvez o melhor seja começarmos a bulir para chegar aos 2000 antes que ele se volte a aproximar de um teclado.

Post 1000 !!!!!

Abram o champanhe, ponham o gato no congelador, snifem uma linha de coca, fumem ganzas, sejam prostitut(a)os, ponham a cadeira, em que estam sentados, no tecto, vão á casa de banho gritar bem alto " PIM PUM DG ", batam á porta da vizinha do terceiro esquerdo e digam que o gato esta azul, fumem cola, sejam parvos, sejam esquerdistas, sejam estalinistas, saltem enquanto gritam o Tonecas é meu, bebem um litro de bagaço e no fim de tudo isto pensem...
Como é possivel que estes animais do "foi um ar que se lhe deu" estejam a celebrar o post mil?
Como diria o trabalhador, foi um ar que se lhe deu!


CAPITALISMO ( I )



Isto é a face visível do capitalismo, isto é o CAPITLISMO!

Munich ( II )

Resposta ao filme Munich !!

Pós modernidade

Hoje foi o mais pós-moderno do tropical!!!!

segunda-feira, fevereiro 13

mais revista côr-de-rosa.........

mesmo sendo o "Correio da Manhã" [CM] uma incontornável (e algo [bastante?!] incontinente) referência do jornalismo em Portugal, também é bastante astuto nos assuntos e matérias do planeta côr-de-rosa [com acento circunflexo, sempre!!].
a edição de hoje do CM então é um fartote!!! ficamos a saber que uma tal de Célia conquistou (finalmente, segundo o CM) o coração de Santana Lopes, que Pinto da Costa (afinal) é um romântico e, finalmente, que Cristiano Ronaldo está algo indeciso (talvez [quem saberá?] com grande incontinência em pedidos de casamento). enfim... hoje fico-me por aqui.
[não percam as próximas... porque eu.........]

sexo...

já me apelidaram de libertino (também de javardo) mas acho-me [ou encontro-me??] talvez como um tímido conservadoreco, senão leia-se esta notícia desse "arauto do grande jornalismo português", o jornal "Correio da Manhã", el@ há limites para tudo, raios!!!

domingo, fevereiro 12

as brutais e chocantes imagens do vídeo de soldados de Sua Majestade a baterem em indefesas crianças iraquianas provam (à saciedade) que a violência é o verbo regular dos aparelhos militares, quaisquer que estes sejam. entretanto, os yankees preparam-se para "democratizarem" o outro país ali ao lado, o Irão.

manuela moura guedes...

sexta-feira, fevereiro 10

revista côr-de-rosa.....

a esta hora só me podia dar mesmo para isto... a absoluta parvalheira [repare-se (é mesmo muuuuito importante!!!) que (no título) côr levou um ^.]
segue então a notícia que promete preencher muitas páginas da revisteira imprensa côr-de-rosa nacional e inter-galáctica: no Verão, em Julho (após o Mundial de futebol na Alemanha), o futebolista Cristiano Ronaldo e a apresentadora de televisão/manequim Merche Romero parece que se vão casar... numa ilha paradisíaca. imagino que essa ilha seja a do Alberto João com os seus (alegados) insuficientes mentais.
será agora que ele vai nú para o Rossio?? com tempo livre... o prometido é devido, Vasquinho!!!
ladies and gentlemen, boys and girls... [aviso: @s estudantes universitári@s (ou pretendes a isso) que sejam mais susceptíveis não devem continuar a ler este texto]
aí está, o Processo de Bolonha "a bombar" (a toda a força) em Portugal!!!
(com aquele [bastante incómodo] aperto na garganta) apetece-me perguntar: e agora?? apenas nos restará reinvindicar uma aplicação de Bolonha com menos danos para o ESP??

quinta-feira, fevereiro 9

Idiossincrasias

Não gosto de carros, mas gostava do meu.

quarta-feira, fevereiro 8

Eu sou assim!!

Resolução

Leiloa-se o "cartoonista" dinamarquês no ebay e o licitador que mais oferecer leva-o para casa.

P.S.: Substituindo-se o dinamarquês por crianças resolve-se também o problema das adopções.

Cagão

Prémio "não perdoarei a caricatura do Santo Padre, mai'lo respectivo preservativo nas bentas": (Declaração do) Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros sobre a crise dos cartoons

terça-feira, fevereiro 7

A lêr

O post do Pedro Mexia sobre os cartoons.

Ainda a adopção (Resposta ao Gaminha)

1 - Tens de arranjar cadeiras mais seguras.
2 - Não se trata de satirizar ninguém, apenas de estabelecer comparações possíveis.
3 - Não sendo a homossexualidade uma prática biológica, não me parece que seja motivada por factores culturais, é uma orientação individual de cariz privado condicionada, é claro, por condicionalismos culturais mas não é um produto da cultura.
4 - De facto, comparar homossexuais a terroristas é absurdo e, no entanto, estebeleces essa comparação. Num dos casos trata-se de pessoas com uma orientação sexual não maioritária, no outro trata-se de criminosos.
5 - Essa salvaguarda é uma cedência ao preconceito social que apenas o reproduz. Não me parecem que um casal, por ser homossexual, não consiga criar uma criança de forma tão saudável como um casal heterossexual. As reacções que surgem daí são as mesma que surgem com filhos de famílias monoparentais ou pais divorciados. O desvio à norma é sempre castigado socialmente até ser aceite e a melhor forma eliminar estas tensões é aceitando as práticas, normalizando-as, ou seja, dando-lhes suficiente visibilidade para que deixem de ser encaradas como anómalas. As "dinâmicas sociais" não existem independentes do que a rodeia, não mudam por decreto divino, mudam pelas práticas e pela sua aceitação.
6 - Em resposta ao comentário anónimo no post do Gaminha, a "razão consensual da maioria do seu [da lei] tempo" é preconceituosa e profundamente discriminatória e aguardar que esse fenómenos mude não só não é neutro como reproduz essa lógica. A "razão consensual da maioria" não o direito de ser discriminatória em relação a minorias, esta é uma lição básica a retirar da II Guerra Mundial.

segunda-feira, fevereiro 6

Prisioneiro de mim próprio

Hoje estou assim...


Novos caminhos para o Bloco de Esquerda

Recentemente recebi um e-mail do B.E., no qual o próprio, estava a organizar uma viagem ao Sahara, pelo preço de 330 Euros. Será esse o futuro do Bloco de Esquerda, uma agencia de viagens? Terá um pacote que contemple, por um preço especial, uma viagem às bancadas do parlamento, como deputado? Qual o preço?

Resposta a ( MDA )

Esse teu raciocínio é de tal forma tendencioso, que quando o li cai da cadeira (satirizar o adversário numa disputa é sinal de falta de argumentos). No entanto devia ter tornado explicito que os constrangimentos ao "normal" desenvolvimento de uma criança, cuja estrutura familiar e dinâmica familiar não seja maioritária, é claramente referente a factores de índole cultural e não biológico (não acredito que alguém acredite que exista um cromossoma da homossexualidade). Achas bem que se dê o direito de adopção a um reconhecido terrorista islâmico (para salvaguardar outras interpretações, não estou a comparar homossexualidade a terrorismo de qualquer espécie)? Temos ou não temos, o dever, de fazer distinções, no intuito de salvaguardar a criança, quanto a dinâmicas culturais?
terrorismo, senhor Bush?? terrorismo é isto!!!
[se bem que para certos grupelhos de esquerda certamente que um relatório da Amnistia Internacional deve (segundo essa gentalha) tresandar a palermice de movimentos sociais e social democracia, :)]

Heróis (III)




"Where lipstick is concerned, the important thing is not color, but to accept God's final word on where your lips end. "

Heróis (II)



"Homer: Marge? Since I'm not talking to Lisa, would you please ask her to pass me the syrup?
Marge: Dear, please pass your father the syrup, Lisa.
Lisa: Bart, tell Dad I will only pass the syrup if it won't be used on any meat product.
Bart: You dunkin' your sausages in that syrup homeboy?
Homer: Marge, tell Bart I just want to drink a nice glass of syrup like I do every morning.
Marge: Tell him yourself, you're ignoring Lisa, not Bart.
Homer: Bart, thank your mother for pointing that out.
Marge: Homer, you're not not-talking to me and secondly I heard what you said.
Homer: Lisa, tell your mother to get off my case.
Bart: Uhhh, dad, Lisa's the one you're not talking to.
Homer: Bart, go to your room. "

Heróis (I)

[BE Coimbra]

No meu mail do clix, as mensagens desta mailing list aparecem como "[Provável Spam] [BE Coimbra]". E eu pergunto: provável?

Sobre a homossexualidade (Resposta ao Gaminha)

Desenvolvendo a ideia aqui debitada pelo Gaminha ("Adopção de crianças por parte de famílias, cuja estrutura familiar e dinâmica familiar não seja maioritárias, obviamente não") pergunto qual seria a posição a tomar face à possibilidade de adopção por parte de famílias:

1 - não patriarcais;
2 - monoparentais
3 - negras ou de qualquer outra etnia "não maioritátia"
4 - com elementos de etnias diferentes
5 - em que que a diferença de idades do casal seja grande

Deduzo que seria absurdo submeter as crianças ao martírio de pertencer a uma família "cuja estrutura familiar e dinâmica familiar não seja maioritária". Porquê parar por aí? As famílias homossexuais têm de recorrer à adopção (ou outros meios não naturais) mas há famílias que não encaixam no paradigma da estrutura dominante que podem ter filhos sem aprovação estatal, será que deveríam? Afinal de contas é óbvia a discriminação que sofrem as crianças negras, deveríamos poupá-las e não deixar que nascessem num país em que a maioria dos casais sejam brancos?

Gaminha, tens que reformular essa tese de forma a não incluir casos como estes e, sendo assim, não sei como poderás fugir do preconceito em relação à homossexualidade. Mas aguardo curioso...

livro a ser lido...


mais sobre este livro aqui.

Provocações ( IV )

Provocações ( III )

Provocações ( II )

Provocações

Caricaturas ( III )



Em nome de um valor, de referência e simbólico, mas fundamental e inegociável de uma civilização saudável, de liberdade e democracia.

O mundo ao contrário ( I )

Se as sociedades burguesas fossem polígamas e bissexuais, as forças progressistas seriam monogâmicas e heterossexuais.

domingo, fevereiro 5

Caricaturas ( II )

"Osilêncio cobarde e pusilânime da "inteligência" cultural europeia, aninhada nos salões da esquerda folclórica e radical (a das causas "fracturantes"), servilmente acompanhado pelo paternalismo condescendente e envergonhado de muitas chancelarias europeias, perante a histeria alucinada e andrajosa da "rua árabe" na questão dos cartoons, ajuda a perceber um pouco melhor a ruptura que se vem aprofundando nos últimos decénios, entre a liderança política e cultural do Ocidente e o sentir profundo dos seus cidadãos."

carta aberta josé caldas in Publico

Caricaturas ( I )

"A campanha árabe tem duas raízes: o choque dos muçulmanos perante os cartoons achincalhantes de Maomé e a manipulação da sua repulsa pelos radicais islamistas. Será passageira mas é um revelador da tensão entre os dois mundos".
Jorge Almeida Fernandes, PÚBLICO, 05-02-2006

sábado, fevereiro 4

B(ee) G(ee)...

estamos com problemas no nosso serviço de comentários, não percebo o que se passa mas não aparecem!!

Poesia ( III )

QUE NOITE FRIA! Na deserta rua
Tremem de medo os lampiões sombrios.
Densa garoa faz fumar a lua,
Ladram de tédio vinte cães vadios.

Nini formosa! por que assim fugiste?
Embalde o tempo à tua espera conto.
Não vês, não vês?... Meu coração é triste
Como um calouro quando leva ponto.

A passos largos eu percorro a sala
Fumo um cigarro, que filei na escola...
Tudo no quarto de Nini me fala
Embalde fumo... tudo aqui me amola.

Diz-me o relógio cinicando a um canto
"Onde está ela que não veio ainda?"
Diz-me a poltrona "por que tardas tanto?
Quero aquecer-te, rapariga linda."

Em vão a luz da crepitante vela
De Hugo clareia uma canção ardente;
Tens um idílio ? em tua fronte bela...
Um ditirambo ? no teu seio quente...

Pego o compêndio... inspiração sublime
P'ra adormecer... inquietações tamanhas...
Violei à noite o domicílio, ó crime!
Onde dormia uma nação... de aranhas...
__________

Morrer de frio quando o peito é brasa...
Quando a paixão no coração se aninha!?...
Vós todos, todos, que dormis em casa,
Dizei se há dor, que se compare à minha!...

Nini! o horror deste sofrer pungente
Só teu sorriso neste mundo acalma...
Vem aquecer-me em teu olhar ardente...
Nini! tu és o cache-nez dest'alma.

Deus do Boêmio?... São da mesma raça
As andorinhas e o meu anjo louro...
Fogem de mim se a primavera passa
Se já nos campos não há flores de ouro...

E tu fugiste, pressentindo o inverno.
Mensal inverno do viver boêmio...
Sem te lembrar que por um riso terno
Mesmo eu tomara a primavera a prêmio...

No entanto ainda do Xerez fogoso
Duas garrafas guardo ali... Que minas!
Além de um lado o violão saudoso
Guarda no seio inspirações divinas...

Se tu viesses... de meus lábios tristes
Rompera o canto... Que esperança inglória...
Ela esqueceu o que jurar lhe vistes
Ó Paulicéia, ó Ponte-grande, ó Glória!...
__________

Batem!... que vejo! Ei-la afinal comigo...
Foram-se as trevas... fabricou-se a luz...
Nini! pequei... dá me exemplar castigo!
Sejam teus braços... do martírio a cruz!...

Poesia ( II )

Tu tens um medo:
Acabar.
Não vês que acabas todo dia.
Que morres no amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que te renovas todo dia.
No amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que és sempre outro.
Que és sempre o mesmo.
Que morrerás por idades imensas.
Até não teres medo de morrer.
E então serás eterno.

Poesia ( I )

Aqui está minha vida.
Esta areia tão clara com desenhos de andar
dedicados ao vento.
Aqui está minha voz,
esta concha vazia, sombra de som
curtindo seu próprio lamento
Aqui está minha dor,
este coral quebrado,
sobrevivendo ao seu patético momento.
Aqui está minha herança,
este mar solitário
que de um lado era amor e, de outro, esquecimento.

Sobre a Homossexualidade ( I )

Parece que o meu último post provocou alguma irritação entre os mais sensíveis. A vida é assim, há sempre alguém que diz o que ninguém quer dizer, há sempre alguém que sente o que o que a vida realmente é, há sempre alguém que não se deixa dominar por lóbis, seja ele o lóbi do cimento ou lóbi dos homossexuais. Essa coisa que deixarmos de ser João, Manuel, Eduardo, António ou outro qualquer nome fictício para passarmos a ser homossexual interessa a quem? A quem interessa deixar de ser ele próprio para passar a ser mais um número (sem rosto) ao serviço de uns quantos, calmamente deitados no seu covil? Quantas pressões já não deve ter sofrido, segundo corre na blogosfera, Sócrates ou Portas para tornarem publica a sua identidade sexual? A quem convinha isso? Entendo como sempre entendi que a sexualidade é algo do foro estritamente privado, e como tal não deve ser nem manipulável nem usado como arma de arremesso. Casamento entre pessoas do mesmo sexo (sejam elas de que orientação sexual forem, podemos ter projectos de vida com outro(a) independentemente da relação sexual que temos com essa pessoa) sim. Adopção de crianças por parte de famílias, cuja estrutura familiar e dinâmica familiar não seja maioritárias, obviamente não. Sou contra que se façam experiencias (a adopção de crianças por parte de famílias homossexuais é uma experiencia) só porque alguém entende baseando-se no direito divino que sim. O direito, o direito ligado à regulamentação de práticas sociais, não pode ser punitivo, ele tem que ser a transposição de normas sociais abrangentes e já apreendidas pela maioria da população.
Sou conservador? Se ser conservador é ser contra essa mania dos tempos pós-modernos, de tornar publico a coisa privada, então sou. Se ser conservador é defender cegamente um conjunto de direitos idealizados, justificados por um direito divino baseado na falsa premissa de que todos somos iguais, então não sou. Nem na dimensão da dor, da fome, da solidão somos iguais quanto mais na capacidade de fazer alguém crescer e ser feliz.

sexta-feira, fevereiro 3

B(ee) G(ee): lavas mais branco??