quinta-feira, janeiro 29

Hoje, à falta disso, sinto-me na necessidade de arrotar um post cheio de lugares comuns. Mas não me apetece...

Penso que já chega.

quarta-feira, janeiro 28

Ri.
Ri no topo do escárnio, na delicadeza do sorriso, no egoísmo da alma.
Ri com a força das entranhas, dos pulmões, da lágrima que rola, do grito alucinado.
Ri do pobre e do rico, do cego e do atleta, do rei e do asceta.
Ri no limite e mais além, na inércia da aurora, nos subúrbios do crepúsculo.
Ri do traje de campino e das ceroulas das moçoilas, da carreteira da matemática e do átrio da república.
Ri dos estereótipos, preconceitos, à esquerda... e à direita, da intransigência, ignorância, à direita... e à esquerda.
Ri da criança que cai e do outro que ri da criança que caiu.
Ri na presença de um amigo ou só, sob um tapete no quarto.
Só isso...
... RI!
E quando se instala o descrédito em relação a tudo, até a nós próprios, o desencanto, o cansaço e o desespero e achamos que ou o que nos rodeia não faz sentido ou somos nós que não fazemos sentido aqui que saída nos resta?
Pensam os pessimistas: matar ou morrer!
Pensam os optimistas: encontrar as coisas boas que a vida tem!
Que coisa boa é, para o mundo, eu ter nascido pessimista!!!!!!!!!!

...

...

...

terça-feira, janeiro 27

Hoje penso naqueles que tanto viajam
naqueles que depressa e bem acabam o curso
e concluo:
quem realmente experimenta a vida
são aqueles que,
tendo uma vida social rica,
se conseguem deprimir
É o tempo que tem pó

B. P. de Almeida

E no entanto
não se pode largar o tempo
Nem dá para arranjar outro
Há que limpar o que temos
E pô-lo a mexer

sábado, janeiro 24

Num daqueles dias em que descobrimos que ninguém nos deixa «pintar olhos à lua»...

«Viver sempre também cansa.

O sol é sempre o mesmo e o céu azul
ora é azul, nitidamente azul,
ora é cinzento, negro, quase-verde...
Mas nunca tem uma cor inesperada.

O mundo não se modifica.
As árvores dão flores,
folhas, frutos e pássaros
como máquinas verdes.

As paisagens também não se transformam.
Não cai neve vermelha,
não há flores que voem,
a lua não tem olhos
e ninguém vai pintar olhos à lua.

Tudo é igual, mecânico e exacto.

Ainda por cima os homens são os homens.
Soluçam, bebem, riem e digerem
sem imaginação.
»

José GOMES FERREIRA

quinta-feira, janeiro 22

"Pois... é a vida...
Pois, pois... pois é pá...
Não há melhor... é o melhor que há...
Deseja que embrulhe ou é p'ra viver já?"

in Na vida real (1988) - Sérgio Godinho
Faço Tudo Por Pinas

A pina é um cocktail
Um cocktail de Ananás
Um pouco de Côco
Muita Vodka
É assim que agente o faz...

Mas não só disto bebemos nós
A cerveja é a favorita
Com o dinheiro dos avós
Tascas cheias, pessoas sós
Em qualquer queima da fita!

"Não acabem co' as por pinas!"
- dizem os mais abastados.
Que na falta de atenção
Porque os pais não lhes a dão
Querem estar embriagados.

E os que não podem com por pinas,
Não gostam ou não têm idade
Há mais coisas para beber
Há tantas outras para fazer
Fora da Universidade!

"Perigoso era não haver,
esta próxima queima da fita!"
- Chorava ela com preguiça,
no domingo ao vir da missa,
pois com esta estava aflita.

À beira das urnas a discussão sobe de tom!
À porta, o sangue que já lá vai...
- E pago, qual é o stress?
Pergunto: - O que queres ser quando fores grande?
Responde: - Dependente do meu pai.

Mark Sröder

quarta-feira, janeiro 21

Estou praticamente a meio da época de exames e continuo sem conseguir estudar, será uma depressão, será um esgotamento, ou estarei deprimida porque estou esgotada de aturar esta merda toda?
O que me parece é que estou um bocado desorientada porque no fundo sempre acreditei que um dia ia acordar e descobrir que isto é só um pesadelo:
-O rebento Bush não é lider dos defensores dos indefesos que não querem ser defendidos e dos oprimidos que não querem ser libertados;
-O nosso primeiro não respira por guelras e é uma pessoa séria;
-O ministro da defesa não é um deficiente mental com tiques a oscilar entre o homossexual e o homofóbico;
-O governo preocupa-se com o país;
-A Universidade é-o, e deixa de brincar às escolinhas com tiques aristocráticos cagões e folclóricos;
-Cotinua a ser impossível o Arnoldzinho criar uma carreira política;
-Etc, etc
Não sei se vocês já repararam bem no ridiculo e dramático de tudo isto! Reafirmo, ou é uma anedota ou um pesadelo.
E posto isto porque raio tenho eu que estudar para sobreviver num mundo onde os bem sucedidos são os atrasados mentais, quanto mais cultural e intelectualmente limitado um gajo for mais sucesso tem.
Acho que vou ignorar que estes outros deficientes doutorados me querem examinar e vou mas é para o tropical, emborracho-me, não pago propinas e não quero saber o que diz o Miguel Sousa Tavares.
Abaixo o estudo.
Está na hora de a Universidade iluminar os povos, vamos deitar fogo a esta porcaria (velha como está deve arder bem)...
Desculpem o mau humor mas preciso mesmo de uma cerveja. Até logo.

terça-feira, janeiro 20

A 2: fala nas entrelinhas.
Depois de celebrada como o espaço da Sociedade Civil (qual movimento proletário fortalecido pela TV), vem a comprovar-se que o é, pois com certeza. Mais: não de uma, mas de duas Sociedades Civis; a saber GOL (Grande Oriente Lusitano) e Maçonaria Regular
- Porquê?
- Porquê?!?! A iconografia é o espírito das lealdades que por lá se vão arquitectando... destaque-se o 2:; sim, dois dois pontos. Porque caso pusessem 2:. (dois três pontos em forma triangular), como é regra da irmandade maçónica, talvez a Anabela Mota Ribeiro se recusasse a pactuar com bruxedos e o Pedro Mexia publicasse no DN um poema in nomine (Opus) Dei.
Aumentar o preço do tabaco em 10% pode diminuir o seu consumo em 4,3% - são os dados de um estudo encomendado pelo Ministério da Economia espanhol.
Pois com certeza.
Digo até mais. Se o aumentarem em 1000% a redução do consumo atingirá quase o pleno - quase, pois a aristocracia ainda teria dinheiro para o comprar.

segunda-feira, janeiro 19

Não concebo que o auto-declarado segundo poder seja uma mera extensão do primeiro, ao bombardear-nos com um número exorbitante de pedófilos, estudantes ricos que por birra não pagam propinas, intoxicações alimentares, miúdos de cara tapada a dizer que ouviram dizer que o padre lá da aldeia abusou de um outro (o juridicamente ignorado "depoimento de ouvir dizer", é só consultar um Código Penal perto de si)... enfim... para nomear algumas notícias de abertura de que me vou lembrando.
Enquanto o que realmente interessa... «se mantém secreto».E porque não dá na tal-visão, a progressiva demissão do estado em áreas como a saúde, o ensino e a segurança social, simplesmente, não existe.
Voltarei a este assunto...


Vim do tropical- a catedral dos sonhos, a única coisa que comparo com andar de comboio, uma autêntica Pasargada. Lá, conversei com um gajo que se picou porque eu disse que era normal, num passado próximo, que dentro das famílias, certas - mas várias - , se abusasse das crianças. Que pelo menos era encarado com normalidade. Talvez umas expressões infelizes, principalmente por não corresponderem ao meu desejo de claridade.
Quase que nos zangámos. Interrompiamo-nos - o que é normal - e interrompiamos as interrupções, alegando ..interrupção - o que é grave numa conversa normal e feliz, onde toda e qualquer pessoa deve poder interromper e desaustinar alegremente quem quer que seja.

Uma das suas tiradas - falávamos da malfada casa pia, que é a única razão válida para eu não estar a estudar como os gajos responsáveis - falava no elemento novo e positivo que era a valorização dos depoimentos das crianças abusadas, no processo de apuramento dos factos, com o propósito de fundamentar uma acusação ( de qualquer modo é isso mesmo, uma acusação, e não o apuramento da verdade). Defendeu igualmente que há muitos pedófilos, pelo que de uma maneira ou doutra, tudo isto é positivo( o caso), visto que atiça socialmente através dos média, provocando outros casos, e levando, consequentemente, a outras prisões - que já ñão sendo tão famosas, terão naturalmente menor facilidade de se protegerem da justiça.
(suspiro)
O problema disto tudo - coitadinhas das criancinhas de 13 e 14 anos, que me perdoem - é que este gajo "É" o procurador, é a consciência colectiva do sistema judicial.
É positivo que o sistema judicial seja em certa medida, um reflexo parcial da sociedade - ao fim e ao cabo, é a sociedade que pretende servir, agindo como mecanismo de regulação e equilíbrio. Mas neste caso, temo, a consciência mais retrógrada e incapaz de discernir fronteiras entre sexualidade em geral, infantil, abuso sexual, papel da sexualidade nas famílias, nas comunidades, urbanas ou não, e conceitos como justiça, apuramento da verdade e dos factos, validade dos factos apurados, validade dos argumento acusatórios baseado em factos apurados( válidos ou não), que caracteriza, infelizmente, grande parte da sociedade, pode também existir nos operadores judiciais, que deva por situações análogas, garantir alguma distância. E é aqui, que as coisas falham estruturalmente no sistema juficial, que, detentor de um corporativismo agressivo auto-protector, não possui - por incúria dos paridores de leis ( nunca lhes interessou ter o sistema judicial contra eles) - processos minimamente democráticos de auto-avaliação e auto-regulação, já para não falar de avaliação externa, que seria importante. Magistrados escolhem Magistrados para avaliar outros magistrados. Imagino, em tons de pesadelo, um magistrado que se revê numa fusão entre o kit, o justiceiro da noite, e Deus. E ainda para mais, vê-se enfiado numa fantástica teia de estruturas auto-reguladores, que mais se assemelham a clã, do que propriamente a um orgão do estado democrático. A justiça deve ser independente, mas não impune.

"quero ser fotógrafa, quero além disso estudar" - diz a nossa candidata ( nossa, diga-se Lusa) ao Super young Model of the World . "sou uma pessoa muita artística", continua ela, enternecendo todo o universo lusitano.
Atribulações Ocupacionais Na Vida De Um Filósofo Desempregado

Hoje é segunda-feira, dia... que dia é hoje mesmo? O marasmo des-ocupacional é perito em roubar à consciência a noção de tempo.... São onze horas e dez minutos da manhã, encontro-me numa (presumo que hajam mais) das salas de informática das instalações da Universidade Católica Portuguesa no porto. Faltam três horas e cinquenta minutos, mais ou menos, para se dar inicio ao interrogatório que poderá, ou não, conduzir-me de uma situação de parasita social, existência sem contribuição válida para o estado, em mais um membro desse enorme colosso que é o aglomerado da população activa. As horas passam devagar, cheguei cedo demais aqui ao ponto de encontro com o meu "guia" por hoje. Porra para a cp e para os serviços de transportes urbanos do porto. Nunca se pode depender dos transportes públicos para nada, nem mesmo para que cheguem atrasados. Os restantes utentes? desta sala tem um aspecto cuidado, bem parecido... se eu pagasse cento e alguns contos por mês para aqui andar, senão mais, (o valor atrás mencionado é puramente especulativo, não faço a menor ideia de quanto se pagará de propina aqui) também andava bem parecido. Estou ansioso por estar no comboio de regresso, mesmo empregado ou não, pouco importa... Gosto de vir ao porto, mas para uma entrevista para um emprego? Ainda por cima para ser DIM??? (Delegado de Informação Médica) Acho que vou aproveitar este tempo aqui sentado para especular sobre o processo hermenêutico da interacção sujeito-objecto na relação dos DIMs com os médicos. Estou seguro que me vai fazer ficar muito mais preparado para a entrevista que se avizinha lá para as três e pouco da tarde. Até lá fico-me por aqui a dizer disparates...
detesto o vasco da gama
morra o vasco
pim

domingo, janeiro 18

Obviamente... Ary dos Santos:

Na Passagem de um ano

Erros nossos não são de toda a gente
Tropeçamos às vezes na entrega
Mas retomamos sempre a marcha em frente
Massa humana que nada desagrega.

Para nós o passado e o presente
São futuro no qual o povo pega
Com suas mãos de luz incandescente
Que aquece que deslumbra mas não cega.

Para nós não há tempo. O tempo é vento
Soprando ano após ano sobre a história
Que para nós é vida e não memória.

Por isso é que no tempo em movimento
Cada ano que passa é meu tempo
Para chegar ao tempo da vitória.


J. C. Ary dos Santos
Obra Poética,
Lisboa, Edições Avante, 1994

sexta-feira, janeiro 16

Alguém me explica esta mania dos presidentes americanos (não do continente, mas do país Estados Unidos da América) e, em especial dos Republicanos de fazer merda na Terra e querer progresso no Espaço.

Quererão fugir de alguma coisa?
O que é que eles sabem que eu não sei?

P.S. - Não vale a pena chorar. Pode ser que venham bandas boas e dê para apanhar grandes bebedeiras (de preferência sem gastar grande dinheiro). Sim! Porque eu tenho o direito de apanhar as bebedeiras que quiser e mesmo assim não pagar blá blá blá blá blá blá bláááá!!!!
Michael Jackson Foi Sodomizado por Elvis Presley

Já esta confirmada a notícia e já foi avançada pela cadeia de televisão norte-americana CNN. Elvis Presley, o conhecido já falecido Rei do Rock, sodomizou Michael Jackson enquanto este ainda era uma criança e actuava na conhecida banda juvenil "Jackson Five". Esta revelação veio a público aquando da investigação do cantor pop por suspeita de praticas pedófilas e abuso sexual de menores. Foram descobertos no rancho "Neverland", propriedade de Michael jackson e residência do cantor, vários indícios que levaram à descoberta destes factos perturbantes. Já há quem pense mesmo em suspender o processo contra o rei do pop por se considerar que este é uma vítima em todo este processo e que qualquer acusação de abuso sexual de menores seria, e cito, "um disparate, um disparate". As reacções do cantor já são conhecidas e versão o seguinte "I am deaply hurted by these revelations. I thought that this was my secret and mine alone. To share this with thousands of people all over the world is a great choc to me. I just didn't want people to know. I even married his daughter to try to forget but it proved a mistake. She did it worse than her father". Estas declarações chocam neste momento todo o mundo. E não se sabe ainda qual será o futuro de Jackson. Para já resta-nos apenas dizer: Perdoa-nos Michael, por duvidarmos de ti.

quinta-feira, janeiro 15

so me apatece fugir daqui. acho que a alemanha e o meu proximo destino...
nao e por nada, e so porque aqui faz muito calor
Que seca! Não quero estudar, e pronto!
hoje discutiram-se as fitas que se fazem em relação ao aborto.
também votamos o aborto da queima das fitas!
foi mais uma noite verdadeiramente importante nesta bela e enevoada cidade...

quarta-feira, janeiro 14

Meus queridos netos:
Vós não estais a compreender o meu sofrimento enquanto vivi!
Bem sei que sois súbditos desse letal cérbero, coração ganancioso que Deus abençoa, mas tende respeito pelos vossos anciãos. Beijos da avó que vos segue do céu,

Anne Frank

terça-feira, janeiro 13

new job for the boys: policia municipal!
é impressionante o numero de carros bloqueados todos os dias!
mais valia termos deixado os gajos a dobrar guardanapos nas cantinas!
ao menos era o estado a pagar-lhes a alimentação!
será que já não há obras?

segunda-feira, janeiro 12

O poema escolhido pela Assírio e Alvim para o dia que corre:

Numa azáfama constante

Os negócios não os deixam descansar
De noite fazem contas de dia galopam
A sua vida é uma azáfama constante
Desconhecem que sobre as suas casas o céu é azul

Tai Fu Ku (c. 1198)
in Rosa do Mundo - 2001 Poemas para o Futuro
Bem, como tenho andado um pouco afastada gostava de recuperar o tempo perdido partilhando com todos um belissimo espécime do SMS pimba, versão "Aniversário do gajo que lixou a reputação do Judas". Passo a citar:"Votos sinceros de um Feliz e Santo Natal passado na companhia dos mais amados. Boas Festas. Victor Salgado". E eu que nem sabia que Dodot se escrevia com C. E este é o nosso grande lider...

Estive a ler os posts do passado e de repente lembrei-me, a propósito de um senhor eclipsado, que há poucos dias jantou uma completa e acabada fascista em minha casa.
Que a tipa fosse a favor das propinas, ainda vá, que fosse contra as manifestações, encerramentos e outras alterações da sacrossanta ordem pública, custa mas vá, e outros disparates que tais, vá lá que eu estou cheia de pachorra porque são os anos da minha colega que convidou o animal, agora que seja contra a liberalização do aborto, PORRA já é demais vindo de quem me está a comer à mesa e a consumir oxigénio lá em casa. Depois eu é que tenho mau feitio... Convidam gajas destas lá para casa, querem o quê?

E apesar de querer partilhar muito mais coisas vou ficar por aqui porque estou numa grande crise existencial e muito deprimida por razões cronológicas, aproxima-se a idade dos balanços e quanto mais me balanço mais enjoada fico, acho que vou vomitar... Desculpem mas tenho que ir à ca..................
Então desligou a luz.
Deitou-se sozinho na cama.
Levantou-se.
Voltou a ligar a luz.
Tirou a arma da mesa-de-cabeceira.

PUM!



Espero que não tenha manchado a alcatifa...
A minha rua está tão enevoada que uma bruxa acabou de chocar contra o convento das carmelitas.
O Pedro Strecht disse recentemente, perante as câmaras de uma qualquer TVAC, algo delicioso: as crianças não mentem.
No congresso de psiquiatras - que se iniciou recentemente, e , frisemo-lo, a tempo - um psiquiatra terá comentado que uma vítima de abusos sexuais, obviamente menor, cujo "atacante" retiver ou possuir um estatuto público bem claro - se for uma figura pública conhecida -, desenvolverá um processo de desculpabilização interior mais eficiente. por outras palavras, o facto do atacante ser uma figura pública, pode ser determinar um fortalecimento da auto-estima, comparativamente a situações análogas, mas em que o interveniente é desconhecido de todos. O comentário do psiquiatra terá, alegadamente, provocado uma reacção mais nervosa de parte da audiência.

Fico com a sensação que me descrevem um mundo de idiotas, que além do mais - e usando um termo cientifico - realizam trabalho e muito no sentido de que se ignore por completo uma visão ligeiramente mais abrangente de todo o problema dos abusos sexuais de menores.
Oiço falar pouco em sexualidade nas crianças. Assisto, isso sim, a um gigantesco psico-drama social, em que o sorver intenso e boçal dum fluxo ininterrupto de concepções bom-mau, monstro-doçura infantil, pelos milhões de portugueses, incapazes de escapar para um qualquer calmo e agradável sofá freudiano.
"Através do vidro, sem óculos, só consigo discernir auréolas várias no lugar de pontos luminosos, e vincadas a negro através da noite algumas arestas de prédios, e algumas janelas faiscantes, e tudo isso mergulhando nas sarjetas com a chuva de fim de ano.
Na estante ao lado, para o futuro recente Analyse Quantitative, e mesmo à direita mais um volume do proust, e outros mil e tal que apodrecem, sem antes expelirem uma vida inteira em pó e cinzas – marcas de cigarros de há vinte anos – que sedimenta nos meus pulmões, e antes na minha garganta, e antes nos meus olhos chorosos e míopes, displicentes.
Espero-me aqui. Um visitante inesperado deverá recriar-se nesta mesma sala, e insurgir-se por instintos perigosos contra a passividade. Vestirá um portentoso e indescritível fato de fazenda cor de caqui relembrando um soldado soviético que olha as ruínas do Reightstag pela primeira vez, e pela última vez, e uma cicatriz na têmpora direita latejará ás 10 da noite, e ás 11 da noite continuará a latejar, prosseguindo em profunda crispação. I meant what i said e referi igualmente que o receio latente e, não o neguemos, existente, de que a realidade pode emergir de um plano de estados inertes para uma fábula de inconsequentes conclusões e actos,.. é infelizmente justificável, e deverá ser enfrentado com um epicurismo radical. Deveria revestir os meus ditos de mármore azul claro, e esquecer-me. Espero-me aqui. Um visitante inesperado deverá recriar-se nesta mesma sala, e insurgir-se por instintos perigosos contra a passividade. Entrará pela única porta da sala, que está sempre aberta, placada por um pequeno suporte que ampara uma coluna de som, e dará vários passos sonoros, coordenados com subtis movimentos oculares, observadores, até chegar junto da janela, e tocar, como quem teme um ardor secreto no metal frio, na maçaneta. Ao ser aberta, através dela passa sem tempo definido uma lógica aragem, e com ela umas incómodas gotículas, e deveria ser visto o desconjuntar do penteado, o rebeliar d´algumas madeixas, algumas cãs, mas o sólido cadáver permanece coeso, olhando a imensidão da noite através das abismais covas. Os carros passam. Algures entre o espaço compreendido pelo carro parado imóvel inerte e o cadáver, existe, encoberto pela neblina e o fumo, pela óptica conveniente das luzes convergentes, um cubículo de quadrados minúsculos de quadrados minúsculos de ar. O cadáver é um soldado soviético vestido com um fato de fazenda cor de caqui. O cubículo permanece onde está, e magnifica, engolindo a cicatriz do cadáver, presente no osso seco. Espero-me aqui. A luz do candeeiro semi-ilumina a sala. Uma televisão faz o seu papel, um jornal ouve-se algures declamando as desgraças d´além. Um visitante inesperado deverá recriar-se nesta mesma sala, e insurgir-se por instintos perigosos contra a passividade. A repetição será a chave do seu lamento. A reformulação será o seu modus operandi. O disfarce o seu ser-nos. Espero-me aqui. A paisagem de mil homens de mãos dadas caminhando pela avenida. O vento gélido contrafeito, irritante, acasala com o medo, fazendo brotar do chão alcatroado - todas elas com seis pétalas azuis cien,- mil mulheres lágrimas.
No fim da avenida, para desconhecimento dos caminhantes, o cemitério. Pelo caminho, não se viram sinais ou tabuletas. É um dia chuvoso e cinzento, cores e sabores que amortecem pelo ambiente, que adormecem nas raízes das árvores, que boiam no meio das poças da avenida. Um polícia montado caminha na direcção contrária, olhando para trás de tempos a tempos. Um casco estilhaça o horizonte, que se reorganiza inexoravelmente, dizendo ( através de um dos que se afasta da torrente): vi dias quentes, no meu lar, na minha casa, onde no quintal os meus filhos brincavam, quentes e alegres. Vi outras coisas, mas não as pretendo rever especialmente. “Quando a tempestade suplantar o sopro, eu próprio tratarei do meu destino.�
As árvores andam na direcção contrária. Estão sozinhos, sozinhos, sozinhos. Espero-me aqui. Toda a sala parece tremer, vibrar. A parede acende-se e desmaterializa-se. Um cão espevita do seu berço; a mãe abocanhou-lhe o cordão. O que resta do vermelho sangue em que se encontra, cedo duro e rijo se acontece, e no chão longe, perdido, esquecido, logo arrefeceu. O pequeno rafeiro passeia-se pela casa, deixando para trás um rasto de boa disposição e alegria. Rói ossos, na marquise junto ao lixo.Espero-me aqui. Na planície, podemos esperar nada menos que uma breve brisa de verão, assolando-nos os custados tórridos, enquanto esmagamos a terra seca e enrugada. E caminharemos várias horas, rumo ao infinito, rumo ao esquecimento, com paixão, confiantes e determinados. Os Filhos caminharam dois passos atrás, transportando sacos de transtorno e constrangimento. As mães cavam as suas covas, lá adiante, no vale, e cavam-nas mais alargadas, pacientes. A terra os comerá e nada permitirá emergir. Nenhum cão os roerá. Fear death by water.
Espero-me aqui. O sol vai alto e quente, bom. O seu calor penetra na sala, através do vidro, através da persiana, e aquece as extremidades dos objectos. Chega aos cantos mais obscurecidos, aos recantos mais esquecidos. Chega ao que resta do andar. Sinto uma vertigem imensa um medo uma sensação terrível de irresistível leveza sinto-me ir para baixo com a casa com o espaço com os tijolos com os raios solares a marcarem os níveis oblíquos que trespassam as paredes em queda sinto nada sinto a luz a não me servir de nada no meio do meu sangue perdido no meio do pó e cimento irrecuperável sinto a cova de cimento armado sinto a campa de escombros e poeira sinto-me à espera aqui, sem discernir auréola alguma no lugar dum ponto luminoso."

Os domingos tem tudo de bom, garantidamente.

domingo, janeiro 11

I'm blue mmdabedidabeda mmdabedidabeda dadedidabedai!!!!

(Oh santo tédio!)

Tenho o tédio e o tédio tem-me. Fui a Lisboa (K +porra de cidade deprimente!) e vim ainda mais entediado.

Ninguém me arranja um anti-depressivo para sobreviver a este Domingo que se adivinha chuvoso, cinzento, entediante e muito deprimente?

sábado, janeiro 10

e é deste mesmo mundo em que objectores de consciência são presos, que solto um ruidoso mas saudável: AAAAAAAARRRRRRRRRRRRGGGGGGGGGHHHHHHHHHH!!!!!!!!!!!

quinta-feira, janeiro 8

Os dias chuvosos são de grande utilidade para o ego. Podemos importar muito mais, reclusos num apartamento pequeno, do que perdidos na imensidão dos actos exteriores.



Todavia, não tenho pão em casa.
O que é uma infelicidade.
Deus, a existir, seria, por certo, um parafuso...

terça-feira, janeiro 6

"O que diz o teu whiskey?" - pergunta a Cutty Sark.
Insisti em algumas perguntas com um que encontrei há pouco, mas não fez declarações.
Aparentemente, é mudo (surdo acho que não é, pois pareceu-me que entendeu o que perguntei).

sábado, janeiro 3

Venho, por esta forma, anunciar, que regressei do reino do oblívio...

Vou agora proceder a uma verbalização com o propósito de manifestar um qualquer pensamento, abstracto ou não, referente a qualquer coisa, real ou não...

Nesta sociedade putrefacta já pouco interessa o que se passa. Nada se pode fazer contra o que quer que seja... as coisas acontecem quem queiramos ou não, quer o desejemos ou não... O que interessa mudar o mundo? O que interessa se um qualquer carrega num botão qualquer e rebenta com uma aldeia, uma cidade, um país qualquer? Querem mudar o mundo? Querem cagar opiniões do alto da vossa cadeira de onde podem ver o mundo todo? Ah! Bravos sábios!

SUICIDEM-SE, PORRA!

A puta que pariu o mundo por engano devia estar muito drogada... Mundo drogado...
Engraçados estes paralelismos entre a natividade humana e o surgimento do mundo... ao que leva a ignorância poética... Que se fodam os poetas, sonhadores de faz de conta...

né, não digas mal das betas... pelo menos são fáceis de levar pra cama; em relação ao betos só tenho uma solução, FUZILA-LOS! a todos... Sim, eu sou a favor da separação sexual.

E viva a virgem maria que nos salva a todos... todos os dias...

Gosto dos meus chinelos novos, são confortáveis... comprei-os no continente, a 7.95€
somos tod@s iguais, dizem-nos!!; mas há uns/umas que são mais iguais do que outr@s!!
tenho que ir dormir (já se faz tarde), mas vou foribundo!! que merda de país é o nosso?! ou serei eu que ainda ando para aqui iludido e isto é o mais normal rumo das coisas??!
hasta mañana, compañer@s!!
para saber mais umas coisinhas da nossa(??) Academia, a grande maioria do material não são grandes (por vezes, nem pequenas) novidades mas sabe bem ler em vez de ver ou ouvir (sempre é diferente).
para não fazer uma entrada muito longa (com demasiado texto copiado desse outro blogue) apenas aconselho a leitura de umas entradas bastante engraçadas:
18 dezembro: acabaram as eleições (Julião e laranjas)
29 dezembro: feira de empresas (Cátia)
30 dezembro: leite a azedar (Miguel, Schulz e laranjas)
1 janeiro: previsões (Miguel e laranjada)
2 janeiro: previsões (Schulz, Miguel, Berto e outros futuros).
tinha dito [na passada madrugada] que iria tentar "maneirar" a minha monopolização do nosso espaço comunitário, mas não me consigo controlar [à quem (pra gozar comigo) lhe chame ejaculação neuronal precoce] quando tenho algo (concerteza pouco relevante) para dizer!
meus car@s comparsas aqui do Duplex: já começaram a pensar que Março deste ano vais ser razoavelmente mexidito (mas não muito mais do que o normal, como convém a muito boa gente)?! a meados do mês teremos o Plenário Nacional de Estudantes do Superior (quase de certeza em Coimbra pois mais ninguém se deve disponibilizar para o fazer senão o Miguelito), dia 20 temos (em Lx) a Manif-global contra a ocupação do Iraque [de que falei aqui numa entrada de omtem à noite] e dia 24 (também na capital) teremos a manifestação habitual da estudantada a comemorar (sectariamente!! e de forma pacóvia) o seu diazinho particular pelas ruas de Lisboa indo findar em frente à Assembleia da República a pedir propina mínima para mês e meio depois terem Queimas pelo país a-fora!! [FdP's!!! novamente culpo @s bet@s!]
pequena(??) dúvida existencial que me atingiu o cérebro e os meus rarefeitos [e parcos] neurónios: sem nós (aqui do Duplex) sabermos será que já há cotas para bet@s no acesso seja ao que for (emprego por exemplo)?? se assim for [e que também exista no acesso ao ensino superior] na faculdade de economia não serão concerteza cota de defesa de uma minoria [étnica??] porque são bem [à vontadinha!] maioritári@s!! acho que precisamos de uma desparasitação com fungicida muitíssimo forte no alto da dias da silva! tenho que me começar a mentalizar (por agora ainda apenas esta parte!!) que tenho de passar a frequentar [pouquinho que seja!] aquele antro, nem que seja só para fazer uns examecos. raios partam os badamecos dos betos!!! não @s suporto!

sexta-feira, janeiro 2

sinto que o país em que vivo (e em que fui parido) vai de mal a pior. o programa de tv de referência para a camada adolescente tuga, e que se assume com alguns laivos de rebeldia [ONDE??], abriu as portas a uma apresentadora betolas: , claro que vinda de cascais! pudera!! de onde mais poderia ser?? da afonso henriques ou de celas, em coimbra?? aqui à direita podem vê-la no programa.
claro que vão dizer-me que eu deveria ser mais tolerante, MAS TOLERÊNCIA COM O QUÊ?? @s bet@s são o que há de mais conservador e reaccionário na nossa sociedade, defendem os valores morais mais abstrusos e abjectos que se possa imaginar!! quase que digo que são uma aberração social senão mesmo um erro da natureza!!!
até uma [outra] das candidatas que ficou (também) como apresentadora do CC parece ser bastante "boa-onda": , aqui à esquerda também poderão vê-la no programa.
quem eu preferia que ganhasse não ganhou, aqui à esquerda no estúdio do programa.
mas que porra de país irá ser este quando a camada etária que deveria ser contestatária, rebelde, contra as normas instituídas é tão, mas mesmo TÃO, certinha?!! ou será [uma pequena private-joke televisiva] que os Gua mudaram de estratégia e agoram assomaram-se n@s bet@s?? como @s bet@s são seres sem consciência alguma serão mais fáceis de "ser trabalhados", certamente.
Ass: Né, o anti-social [mas com grandes (e verdadeiras!) preocupações sociais!]. como dizia o pobre BB: mais vale destituir este povo e eleger outro??!!!
Não gosto de passagens de ano.
Podia dizer que não ligo às passagens de ano, mas mentia, ligo: não gosto, mas tem de ser
(e que tem de ser tem muita força, aprendi quando era infante).
Todos os anos a mesma coisa, quando finalmente começo a acertar no ano nas datas que escrevo, um mês depois muda o ano
quando começo a tratar por tu o ano velho surge o sr. ano novo.
O dia 1 de Janeiro, que, para cúmulo, vem atrelado com outro, o 31 de Dezembro, funciona como um dia mundial de todos os Domingos e último dia de quaisquer férias
pelo menos sinto-o da mesma maneira.
Mas este ano, em virtude da localização «espácio-calendeiral» do dia 1 de Janeiro, a febre de ano novo vai durar, pelo menos até dia 4 de Janeiro, que, ainda por cima, é Domingo!
É o equivalente a um Domingo com 120 horas.
Por isso, vou pousar aqui a melhor música sobre a sensação de Domingo, Sunday Morning, dos Velvet Underground

Sunday morning, praise the dawning
It's just a restless feeling by my side
Early dawning, Sunday morning
It's just the wasted years so close behind
Watch out, the world's behind you
There's always someone around you who will call It's nothing at all
Sunday morning and I'm falling
I've got a feeling I don't want to know
Early dawning, Sunday morning
It's all the streets you crossed, not so long ago
Watch out, the world's behind you
There's always someone around you who will call It's nothing at all
Watch out, the world's behind you
There's always someone around you who will call It's nothing at all
Sunday morning
Sunday morning
Sunday morning

já me lembrei do nome do gajo (do pavilhão Atlântico)... Tony Carreira!
vou ter (mesmo!!) que moderar a minha presença aqui no blogue; ando a monopolizar o nosso Duplex. desculpem-me, são as carências afectivas!!! Shuif, U, Shuif...
[captas-te a (tentativa, reles admito! de) encriptação?? *****]
as imensamente parolas (no mínimo!!) SMS's que @s tugas compulsiva e freneticamente trocaram no Natal e passagem de ano dava (no mínimo!! para) um ano inteiro de Malucos do Riso! depois ainda há quem se surpreenda pelo povinho adorar o Quim Barreiros e o... o outro gajo que encheu 2 pavilhões Atlânticos (não me lembro do raio do nome do gajo e não me quero dar ao trabalho de pesquisar em nenhum motor de busca!, vocês sabem com certeza de quem estou a falar). mas a piroseira por SMS que @s tugas trocaram são de morrer a rir (se levarmos aquilo para o lado do gozo) ou de morrer a chorar (se levarmos aquilo a sério). mais uma vez vão dizer-me que estou a ser anti-social, que me estou a afastar dos canones da nossa sociedade. pois muito bem, se assim for quero que se foda!! aconselho a que cada um@ dê uma vista de olhos pelos telelés do papá e/ou da mamã e leiam algumas (só algumas para não apanharem uma overdose) de mensagens pirosas até dizer basta!! claro que as operadoras móveis adoram isso!! apetecia-me dizer muito mais... mas vou fazer umas outras coisas pelo mundo dos 3W's. talvez volte aqui daqui a pouco se me apetecer carpir de novo...!!

quinta-feira, janeiro 1

à uns dias versando sobre o tema das espectativas (para o novo ano, entenda-se) alguém me disse um paralelismo muito engraçado: "as espectativas são como o sexo, quem diz ter muitas é porque pouco tem". eu disse que o paralelismo era engraçado não que fosse irrefutável, bem pelo contrário. não achas??
não sou do PS (graças a Deus!!), mas acho demasiado estúpido (logo muito provável [ou quase certo] de ser provindo de alguém direitoso/direitolas) que todas as pessoas que se tentam envolver/atirar para o caso Casa Pia (por via de cartas/denúncias anónimas) não sejam nem uma [que fosse!!] dos lados da coligação de Direita que nos(?) governa! a Direita tem essa característica muito sua (sinónimo da sua tacanhez e falta de visão; que a Direita em Portugal é o suprasumo mais conhecido do nosso planeta), fixa-se num ponto e não o larga [tipo rottweiller agarrado à perna do Ferro (e não seria o Gastão, de que aqui falei à uns tempos atrás)]. hoje até parece [pelo que se soube nos telejornais] que querem meter ao barulho o Sampaio e (quem diria! até) o Vitorino [já talvez para queimar antecipadamente mais um secretário geral do PS; Ferro e Gama no presente e (quase) passado recente, o outro num futuro (mais ou menos) próximo [uns foram dar aulas para a universidade em Washington enquanto se marinava o Marcelo; outros vão para Bruxelas enquanto se aquece o Ferro na fornalha] (espero que tenham gostado desses meus últimos paralelismos, esforcei-me mas as minhas limitadas capacidades não me permitem realizar melhor, muito humildemente: desculpem-me!!)].
não consigo suportar os palpites (meros bitaites) do cabrão do Zé Manel Fernandes na RTP!! qual serviço público?!! o que aquela criatura regurjita [não sei se se escreve assim] é vómito completo de neoliberalismo!! morte ao JMF!! morte! morte!!
logo
ah!! já me esquecia! (é a minha [muito habitual] falta de cortesia): bom ano a tod@s!! (@s que também sinceramente desejam bom ano novo a tod@s @s outr@s!). sectarismo meu? não me parece! analogamente: não desejo lucros a um judeu usurário (como quase todos!).
transcrevo texto parcial que recebi por email da ATTAC Portugal:
"A Assembleia dos movimentos sociais reunida em Paris, durante o último Fórum Social Europeu, convocou um dia de acção global para o dia 20 de Março. Neste dia que, como aconteceu em 15 de Fevereiro de 2003, vão ser convocadas centenas de manifestações em todo o planeta contra a ocupação do Iraque e contra o estado de guerra permanente."
que nós não fiquemos parad@s!! um outro mundo é possível!! contra a ocupação imperialista do Iraque!! (aconselho que vejam este site)