sexta-feira, abril 28

i'm feel i'm loosin' it...

Vandalismo por Abril

Oh Salgueiro Maia!

Qual MFA, quais capitães de Abril,
os meninos de hoje celebram aquele dia,
fazendo homenagem à janela que se abriu:
à possibilidade gloriosa de vandalizar a praça pública.

Coitados daqueles que pereceram em Caxias ou Peniche,
Oh rapazes de outrora, que deram tudo pela causa.
Grandes são as voltas que dais em vossos túmulos,
e bem o podeis fazer...

Saber que aquilo porque lutaram foi esquecido!
Hoje come-se a liberdade sem lhe tomar o gosto.
E quando hoje a maioria democraticamente o tenta impedir,
a minoria extremista,
sempre parva, sempre cega,
grita:

25 de Abril Sempre! Fascismo Nunca Mais!

Afirmando ao mundo que o vosso esforço
não mais serviu para apenas reclamarmos o direito ao vandalismo!

quinta-feira, abril 27

hoje há manif...

(Segunda-feira
trabalhei de olhos fechados
na terça-feira
acordei impaciente
na quarta-feira
vi os meus braços revoltados
na quinta-feira
lutei com a minha gente

na sexta-feira
soube que ia continuar
no sábado
fui à feira do lugar
mais uma corrida, mais uma viagem
fim-de-semana é para ganhar coragem)

Muito boa noite, senhoras e senhores
muito boa noite, meninos e meninas
muito boa noite, Manuéis e Joaquinas
enfim, boa noite, gente de todas as cores
e feitios e medidas
e perdoem-me as pessoas
que ficaram esquecidas

boa noite, amigos, companheiros, camaradas
a vida é feita de pequenos nadas
a vida é feita de pequenos nadas

Somos tantos a não ter quase nada
porque há uns poucos que têm quase tudo

mas nada vale protestar
o melhor ainda é ser mudo
isto diz de um gabinete
quem acha que o casse-tête
é a melhor das soluções
para resolver situações
delicadas
a vida é feita de pequenos nadas

E o que é certo
é que os que têm quase tudo
devem tudo aos que têm muito pouco

mas fechem bem esses ouvidos
que o melhor ainda é ser mouco
isto diz paternalmente
quem acha que é ponto assente
que isto nunca vai mudar
e que o melhor é começar a apanhar
umas chapadas
a vida é feita de pequenos nadas

Ouvi dizer que quase tudo vale pouco
quem o diz não vale mesmo nada

porque não julguem que a gente
vai ficar aqui especada
à espera que a solução
seja servida em boião
com um rótulo: Veneno!

é para tomar desde pequeno
às colheradas
a vida é feita de pequenos nadas
boa noite, amigos, companheiros, camaradas
a vida é feita de pequenos nadas.


[letra: Sérgio Godinho]

quarta-feira, abril 26

escolhas

Na política, como na guerra, pois não há política sem guerra nem guerra sem política, é sempre necessário cavar trincheiras, escolher um lado... mesmo que ambas as trincheiras, ambos os exercitos, disparem para o mesmo lado... Se Aristóteles fosse vivo, e visse a política e a guerra hoje, concluiria uma coisa, que a política tal como a guerra, são jogos de crianças, habituadas a fazer apenas o que querem, como querem, e quando querem, valorizando o seu umbigo, a sua birra, em detrimento do que é, de facto, o objectivo da política e da guerra...

Aqueles que resolvem sair das trincheiras e tentam cavar um túnel entre as duas, para as unir, alargando assim a frente de combate, acabam sempre por morrer sózinhos... Aqueles que acham que conseguem, de certa forma, conciliar as coisas, manter-se em ambas as trincheiras, acabam sempre por levar com uma bala perdida, muitas vezes fogo amigo...

Francamente não me importa. Estou cada vez mais anarquista... Cada vez mais me convenço que quanto mais procurar estar em uniões fictícias, menos faço aquilo que quero e mais me perco... Estou farto de discussões inuteis, de pedir a uma perna para mexer a outra e acabar por cair de queixo no chão porque nenhuma se mexe, estou farto que me atem os cordões dos sapatos um ao outro...

De resto para quê escolher uma trincheira? A morte numa guerra de campo aberto é muito mais gloriosa...
a
a

terça-feira, abril 25

Acta da reunião

"Aumentar as propinas no ensino superior [e, simultaneamente, desenvolver um sistema de empréstimos (talvez com a possibilidade de pagamento após a formação e entrada no mercado de trabalho)] seria mais justo e aumentaria a eficiência". Até porque, continua-se, "as propinas nas instituições públicas são relativamente baixas enquanto as contrapartidas salariais para os detentores de um diploma são altas".
Fonte:
Último relatório sobre Portugal publicado pela OCDE ou
Tropical, há dias, com a participação de habitués

para quem só vê revolução...

"Angels"
de Robbie Williams

I sit and wait
Does an angel contemplate my fate
And do they know
The places where we go
When we're grey and old
'cos I have been told
That salvation lets their wings unfold
So when I'm lying in my bed
Thoughts running through my head
And I feel the love is dead
I'm loving angels instead

And through it all she offers me protection
A lot of love and affection
Whether I'm right or wrong
And down the waterfall
Wherever it may take me
I know that life won't break me
When I come to call she won't forsake me
I'm loving angels instead

When I'm feeling weak
And my pain walks down a one way street
I look above
And I know I'll always be blessed with love
And as the feeling grows
She breathes flesh to my bones
And when love is dead
I'm loving angels instead

And through it all she offers me protection
A lot of love and affection
Whether I'm right or wrong
And down the waterfall
Wherever it may take me
I know that life won't break me
When I come to call she won't forsake me
I'm loving angels instead

And through it all she offers me protection
A lot of love and affection
Whether I'm right or wrong
And down the waterfall
Wherever it may take me
I know that life won't break me
When I come to call she won't forsake me
I'm loving angels instead

domingo, abril 23

V... de Vingança



PEOPLE SHOULD NOT BE AFRAID OF THEIR GOVERNMENTS.

GOVERNMENTS SHOULD BE AFRAID OF THEIR PEOPLE.



Deu-me vontade de ir rebentar com algumas coisas...
Haverá algum Guy Fawkes português?
a

quinta-feira, abril 20

Há merdas e merdas...

Gozar com o Francisco Adam ainda vá, agora com o Dino é que não!

Deontologia

quarta-feira, abril 19

a Fnac e a contestação(??) estudantil da Academia de Coimbra [nomeadamente na próxima semana] não têem nada a ver?? se calhar até poderiam ter...
mais desenvolvimentos em próximas postas...

no mínimo... desastroso: tenha-se cuidado, muito cuidado!!!

Música Ucraniana...

Aparentemente isto foi ao Festival da Canção...
Carreguem aqui para fazer o download desta pérola...


para lerem melhor carreguem na imagem...

Bolívia: nacionalização do gás...

quinta-feira, abril 13

guerra civil!!







Contra o Capitalismo, guerra civil.

longa vida ao Judas!

Que existam por ai muitos beijos de judas...



quarta-feira, abril 12

Copyright / Copywrong?

Na continuação dos posts da SMR, do e do Koenige (isto de não tratar as pessoas pelo nome é uma treta!), aqui vai:

Os problemas da cópia ilegal de músicas, filmes e software são muito idênticos, trata-se de uma prática que consiste em arranjar produtos comercializados de graça ou a preços muito baixos. No caso da música, por muito reduzida que seja a margem de lucro das bandas sobre os álbuns vendidos, a verdade é que as bandas fazem contratos discográficos para poderem ver o seu trabalho divulgado pelo meio mais eficaz: o mercado. Nesse sentido, é aceitável e justo que as editoras estabeleçam margens de lucro para as próprias. Reparem que não se trata de nenhum bem público, é "apenas" culura. Por muito que nos irrite não ter dinheiro para comprar a quantidade de álbuns que queremos, é egocêntrico e infantil defender o roubo destes produtos porque, de facto, quando nos apoderamos de um produto comercializado sem o pagar, é de roubo que se trata.
Quando as editoras dizem que se deve fazer algo para impedir cópias ilegais, estão no seu direito reclamando intervenção dos Estados no sentido de regular as práticas comerciais, estão apenas a pedir aos Estados que mantenha o funcionamento do mercado sem interferência de práticas desreguladoras (mesmo que o façam com BDs tão ridículas como as de uma qualquer campanha de prevenção rodoviária). Estamos, portanto, perante uma reivindicação perfeitamente legitima, a de que seja o mercado a regular os preços (em relação à qual não levanto grandes objecções desde que nao se trate de nenhum bem público mesmo que a definição de bem público varie como o vento).

Há algumas respostas a serem esboçadas. São respostas também legítimas que ganham forma quando as bandas tentam fugir aos mecanismos de mercado, disponibilizando álbuns na internet ou quando é criado Software Open Source. Há, efectivamente, bandas que não estabelecem como objectivo ganhar dinheiro através da venda de álbuns até porque isso pode aumentar as receitas dos concertos mas essa é apenas uma prática tão legítima e tão racional como a das bandas que celebram contratos editoriais para divulgarem o seu trabalho.

Os preços são demasiado altos? Preferia que fossem substancialmente mais baratos para pder comprar mais? Sem dúvida, mas o mesmo se aplica aos preços das viagens a Nova Iorque ou aos preços das estadias em bons hotéis. A diferença é que a internet ainda não proporciona uma alternativa barata a uma visita a Greenwich Village.

terça-feira, abril 11

Aos nossos caros inimigos da pirataria...

Não sou adepto de encher blogs com trivialidades para esquecer ainda mais rápido do que aparecem, mas vou abrir uma excepção para um caso tão extravagante e, quem sabe, menos trivial do que parece à primeira.

Eis uma maravilhosa bd para educar as crianças acerca dos perigos do roubo de "propriedade intelectual", cortesia dos nossos amigos da Business Software Alliance, agremiação dos capitalistas do software. É muito instrutivo o site onde eles amavelmente nos ensinam a conhecer os "nossos" direitos e a evitar o "cibercrime".

Quem acha razoável que se persiga os "piratas" que "roubam propriedade alheia" pela net, tem aqui um contributo valioso para pensar com que companhias anda metido.

segunda-feira, abril 10

em França: (esta manhã) os sindicatos davam-se por satisfeitos com o recuo governamental, enquanto que (esta tarde) @s estudantes marcaram manifestações para amanhã.
muito sinceramente espero que uns [os sindicatos] não abandonem já a vitoriosa luta conjunta e que outros [@s estudantes] não "estiquem a corda" quando possa (eventualmente) já não haver com quem esticá-la conjuntamente; será que [uns e outros, sindicatos e estudantes] não vêem que a retumbante vitória que se conseguiu com o recuo do CPE só foi possível porque estiveram unid@s na contestação/luta?!!
a aferir pelos "nossos" JN e Público parece que em Itália Prodi apeou mesmo Berlusconi do poder; mas vendo pelo Corriere della Sera, os resultados estão bastante próximos.
como em momentos eleitorais sou bastante pessimista mantenho-me espectante, mas ansioso por poder dizer: "Addio, Berlusco!"

Berlusco: addio!!!

frances@s: e agora??

la fin du CPE!!!!!

face à grandeza da contestação social nas ruas de França nas últimas semanas, esta manhã o Presidente da República e o próprio Governo francês foram obrigados a voltar atrás na sua lei do Contrato do Primeiro Emprego [leiam-se a notícia do "Público" e o artigo do "Le Monde"].
claro que os protestos populares de (e na) rua são considerados por algumas pessoas da nossa Academia Coimbrã como algo de cariz natural e intrinsecamente negativo, vide a opinião da Direita Académica (que me escusso de adjectivar, para não entrar novamente em estéreis polémicas blogosféricas).

domingo, abril 9

sábado, abril 8

2040... o petróleo está no fim!

Esta manhã chegou à nossa redacção um vídeo com imagens dos novos mísseis americanos. O Conselho da Europa e da Ásia já respondeu a esta ameaça. Na conferência desta manhã, o CEA preparou a invasão àquele país que "está a perder a sua democracia". O CEA promete assim libertar aquele povo oprimido, e restaurar a democracia naquela sociedade. As despesas desta ofensiva do CEA serão cobertas por pequenas quantidades de urânio que os nossos soldados irão trazer, num programa já chamado "food for U235".


Mark Shroeder, RTEA, Varsóvia

sexta-feira, abril 7

na nossa Academia, e na sua Direcção Geral (em particular), há dirigentes(??) associativos que dão bitaites mas depois apagam-nos.
tal acontecimento não me surpreende nada mas, mesmo assim, deixa-me triste...
cobardia dele?? sei lá! digo apenas... «foi profundo!»(??)
no Governo do Estado Espanhol (entre outras mudanças na primeira "crise" de Zapatero): a pasta da Educação e Ciência deixa de ser de María Jesús San Segundo passando para Mercedes Cabrera Calvo-Sotelo.
la lucha... sigue!!!

badalhoquice minha...

em tom de desabafo, deu-me p'ra isto...

Recado (rendido) ao (ex.-)camarada do Hugo

Andamos muito entretidos com a prosa da Fátima Bonifácio... Pena que quando o assunto toca «PC e esquerdismos afins» a senhora perca grande parte da qualidade e consistência analítica a que nos habituou e responda à «velha esquerda» com uma vulgata liberal puramente clientelar, armadilhada e conservadora, mais proclamatória que sociológica.
Enfim, compreende-se que não haja paciência para a «contra-política» das esquerdas antiliberais que, para além de medíocre e irresponsável, é inofensiva (esperemos). Daí não se conclui, como pelo teu metatexto se insinua, que precisemos de reajustar ou submeter os discursos públicos de tradição liberal à agenda política de uma direita fraquinha paradoxalmente em visível progressão hegemónica. Pelo contrário, disputá-lo, mobilizando os recursos que tão-só as democracias liberais conseguem fornecer à concorrência política, perece-me muito mais desafiante. A «opinião pública», como a conhecemos, é um deles e, em bom rigor, já percebemos parte da ancoragem ideológica da coluna (blog) - pelo engajamento crítico quanto aos socialismos marginais e respectiva tradução na política-do-dia. Um execício interessante seria resgatar os mesmos tópicos de confrontação que têm sido constituidos para o esvaziamento da esquerda «avançada» e reinvesti-los no outro lado do hemiciclo político. Veríamos, às tantas, que o valor das clivagens políticas possui significativas equivalências. Veja-se, por exemplo, o insuspeito mas produtivo desacerto entre Pacheco Pereira e os Atlânticos/Acidentais (com virtuosas excepções).

quinta-feira, abril 6

E para a DG não vai nada, nada, nada?

Não.

Fomos contactados na 2ª Feira para dar um concerto nos jardins da Associação Académca de Coimbra na 4ª Feira. Apesar de ser em cima da hora e de termos tido um concerto na 3ª Feira, aceitámos. Depois da teimosia em não transferir o concerto para um sítio coberto que estava disponível (as cantinas amarelas), acabámos por montar as coisas a pedido da Direcção Geral da AAC nos jardins mesmo avisando que podia chover. Acabou por chover e a RUC (que disponibilizava o material de som) acabou por ficar com uma mesa encharcada e desentenderam-se com a DG. A DG queria que tocássemos num canto imundo para ficarmos a coberto da chuva (mesmo que o público ficasse à chuva). Não nos deram luz para tocar, só podíamos fazer o soundcheck todo 15 minutos antes do concerto já com o recinto cheio de gente.
Obviamente, a coisa foi cancelada e a incompetência da DG, da RUC ou dos dois obrigou-nos a ir a Coimbra com o material todo para não tocar num concerto em que não íamos receber um tostão. .

quarta-feira, abril 5

Ontem, em Madrid...

photo alguns/mas milhares de estudantes universitári@s de Madrid manifestaram-se contra o Processo de Bolonha.
algumas das suas frases-chave: "nuestra arma és rázon"... "la lucha és el único camino"... "no queremos que las empresas dicidén lo que se enseña en la Universidad"... "no queremos una Universidad onde só nos prometen mano de obra barata, precária e poco calificada"... "resistirmos à la mercantilización de la educación, à la precarización de nostro futuro laboral, la privatización de nuestros derechos"...
[para qualquer gralha na minha escrita em castelhano solicito alto grau de tolerância]

Ontem em França: três-milhões-três... nas ruas

photo
podem seguir-se os acontecimentos de ontem em toda a França através da reportagem do diário francês "Libération".
photo continuando a versar sobre o tema abaixo abordado pela Sandra [a perseguição (digo eu) policiesca aos downloads, trocas e cópias gratuit@s de música (e também de outros materiais) da e na internet]: quem realmente anda extremamente preocupado com tudo isso são (praticamente só) as editoras porque estas sempre foram absolutamente tacanhas na sua abordagem comercial aos novos tempos; vejamos: surgiu o cd e (com a sua massificação) atingiram-se valores astronómicos e (anteriormente) inimagináveis de vendas das editoras, ainda mais contando com as constantes vagas de revivalismo(s) [que mais não são do que inteligentes criações/manobras de marketing comercial para se conseguir vender música do passado quando novas gerações adultas já têm alguma(s) nota(s) na carteira]; seguidamente, apareceu o advento do dvd e logo tivemos mil e uma reposições de albúns musicais já anteriormente editados [mas sempre com (pequenos) extras!] e a novidade dos concertos musicais ao vivo (normalmente de bandas do passado, pois o preço de venda desses dvd's são-no apenas accessíveis para a tal nova geração adulta, já com alguma nota na carteira); agora, para breve, parece que irá surgir o blue-ray e o dvd-hd, que mais não deverão ser do que a nova[-velha] fórmula mágica de as editoras venderem o(s) mesmo(s materiais) por outras (novas-velhas) formas/suportes.
enfim, as editoras continuam a vender, a vender, a vender... preocupa-as apenas as enormes (eventuais) vendas perdidas com ess@s downloads, trocas e cópias gratuit@s de música na internet, pois as editoras não conseguem ver nisso [downloads, trocas e cópias gratuit@s de música na internet] a promoção e/ou divulgação de um projecto/banda.
se as editoras não funcionassem meramente como meras empresas (de)predadoras [vulgo, capitalistas] com o seu único objectivo a serem os lucros (sempre crescentes!) mas, pelo contrário, se as editoras fossem agentes de um mutualismo cooperativista no mundo das artes, julgo que este problema [d@s downloads, trocas e cópias gratuit@s na internet] já não se punha (pelo menos de forma tão gritante). os lucros astronómicos desde sempre auferidos pelas editoras serão investidos em apoios a novos projectos/bandas, arriscando-se em "novos modelos" e "novos sons"?? sinceramente, não me parece que assim seja.
no seguimento disto, veja-se a edição desta semana do NME [cuja capa se mostra junto deste texto], em que Thom Yorke (vocalista dos Radiohead) fala sobre o novo álbum da banda (já na forja, fique-se [ansiosamente] à espera!!!) mas sobre o assunto presente [o que agora mais nos interessa] Thom Yorke expõe algumas das verdades sobre a indústria musical: "the mainstream music business is a bunch of [fucking] retards" [como se pode ver na chamada de capa do NME] e ainda acrescenta que "the whole Arctic Monkeys phenomenon was kind of funny because it was really just the mainstream waking up to the fact that the internet exists". posteriormente Thom Yorke desdenhou [do aproveitamento sensacionalista das suas declarações, realizado nesta edição] do NME.

terça-feira, abril 4

Fui hoje (pouco) surpreeendida com a notícia das queixas-crime apresentadas pela Associação Fonográfica Portuguesa à PJ, em virtude dos Downloads ilegais.
Depois de ler aqui a notícia, acompanhei os desenvolvimentos nos serviços noticiosos de alguns canais televisivos.
Foram entrevistadas vários representantes de editoras discográficas e um representante da SPA, e todos eles afirmavam a irreparavel lesão que o Download não pago inflige sobre o autor.
Se a possibilidade de fazer Downloads gratuitos (chamem-lhes ilegais) torna o autor (ou o seu trabalho) conhecido do público - veja-se o caso dos Artic Monkeys - e permite divulgar autores que não se encontram sob a protecção de uma editora, ora, toda esta divulgação permite ao autor (ou banda) ter mais público nos seus concertos e um maior número de concertos marcados.
Quem faz música tem um maior rendimentos com os concertos que "dá", do que com o número de CDs que vende (os direitos de autor variam entre 10% e 20% do preço do CD sem IVA, o que dá perto de 3% a cada membro da banda). O grande bolo continua a pertencer à editora, a verdadeira lesada com o Download gratuito.

Plataforma Coimbra Galiza


Avisos à navegação...
A Plataforma Coimbra Galiza já tem blog: http://plataforma-coimbra-galiza.blogspot.com/
Se se quizerem manter ao corrente do que se vai passando com este movimento vão-lhe passando os olhos.

segunda-feira, abril 3

... e o 25 de Abril aproxima-se...

amanhã no Estado Espanhol...

organizações estudantis de diversa índole [referencio aqui apenas duas: a ACME (Asamblea Contra la Mercantilización de la Educación) e o Sindicato de Estudiantes] conseguem estar unidas no essencial: a luta por uma Universidade de qualidade e para tod@s e também para exigirem condições de trabalho dignas para tod@s (hoje como ontem mas também amanhã).
realmente para lá de Badajoz há algumas diferenças face ao lado de cá, no rectângulo de brandos costumes e à beira Atlântico plantado...

terei perdido dois concertos (i)memor(i)áveis...

e que tal...

sábado, abril 1

Toca:

Einstürzende Neubauten - Dingsaller
A REPRESSÃO DOS DIREITOS DAS MULHERES!
--- A Repressão dos Direitos das Mulheres tinha como objectivo tratar as mulheres como uns meros 'úteros ambulantes'... para que... as sociedades ficassem dotadas duma VANTAGEM COMPETITIVA DEMOGRÁFICA!!!!!!
--- De facto, quando as guerras eram lutas 'corpo-a-corpo' o factor numérico ( número de combatentes disponíveis ) era de uma importância decisiva... visto que...esse factor era ( frequentemente ) determinante na decisão das Batalhas e das Guerras...

--- Depois, pela necessidade de luta pela sobrevivência... ou ... pela ambição de ocupar e dominar novos territórios... alguém fez uma nova descoberta extraordinária: --> O TABÚ-SEXO!
--- O Tabú-Sexo tinha como objectivo proporcionar uma melhor rentabilização dos Recursos Humanos da Sociedade!?!?!?!...
--- De facto, o Ser Humano não é nenhum Extraterrestre: tal como acontece com muitos outros animais mamíferos, duma maneira geral, as fêmeas humanas são 'particularmente sensíveis' para com os machos mais fortes...
--- Analisando o Tabú-Sexo:
- a sociedade dificultava o acesso das mulheres à independência económica;
- as mulheres que não casassem eram alvo de crítica social...
[ portanto... como é óbvio... as mulheres eram 'pressionadas' no sentido do Casamento ]
- não devia haver sexo antes do Casamento;
- as mulheres não deviam procurar obter prazer no sexo;
- as mulheres que se sentissem sexualmente insatisfeitas, não podiam falar nesse assunto a ninguém, pois o desempenho sexual dos machos não podia ser questionado;
- era proibido o divórcio;...
...........torna-se óbvio que o Verdadeiro Objectivo do Tabú-Sexo eram montar uma autêntica armadilha às fêmeas... de forma a que... estas fossem conduzidas a aceitar os machos sexualmente mais fracos!!!
--- Dito de outra forma, o VERDADEIRO OBJECTIVO do Tabú-Sexo era proceder à integração social dos machos mais fracos!!!

--- Nota: Quando as guerras eram lutas ' corpo-a-corpo', para além do factor numérico ser de de muita importância... frequentemente... o que decidia as guerras era a MOTIVAÇÃO com que os combatentes ( os homens ) lutavam...
--- Concluindo, ao permitir que fosse realizada uma Boa Gestão dos Recursos Humanos da Sociedade... o Tabú-Sexo fez com que... as sociedades ficassem dotadas duma VANTAGEM COMPETITIVA!!!...

MAIS:
--- Quando as batalhas eram lutas corpo-a-corpo... essas batalhas seriam autênticas carnificinas... portanto... era necessário uma grande disciplina... para não existirem homens cada um a fugir para o seu lado...
--- Ora, os responsáveis militares, da altura, não andavam a dormir... e sabiam que para se construir um exército disciplinado era necessário realizar previamente um Largo Trabalho Sociológico de Longo Prazo... no sentido de formar 'Homens Rudes'...; portanto, não é de admirar que tenham surgido na sociedade ' frases-feitas ' do tipo:
- " um homem nunca chora ";
- " não és homem não és nada se... ";
- " a tropa foi feita para os homens ";
- etc...

Que eu me lembre... eis três casos curiosos:
-1- as mulheres tinham de ficar em casa a cuidar dos filhos ( ou seja, era necessário assegurar a Capacidade de Renovação Demográfica...) , caso contrário, o inimigo impunha uma Guerra de Desgaste Demográfico... e ao fim de uma geração ( sem Renovação Demográfica do ?outro lado?... )... ganhava a guerra 'com uma perna às costas'.
-2- as viúvas não podiam voltar a casar... pois... não era nada benéfico para a moral dos combatentes... eles pensarem que... se eles viessem a morrer no campo de batalha... depois a mulher ia 'curtir' com outro...
-3- existia uma forte repressão sobre os homossexuais... visto que ... a Sociedade necessitava de 'Homens Rudes' para combater nas batalhas ( autênticas carnificinas de lutas corpo-a-corpo... ).11:26|W|P|Nelson Fraga|W|P|photo alguns/mas milhares de estudantes universitári@s de Madrid manifestaram-se contra o Processo de Bolonha.
algumas das suas frases-chave: "nuestra arma és rázon"... "la lucha és el único camino"... "no queremos que las empresas dicidén lo que se enseña en la Universidad"... "no queremos una Universidad onde só nos prometen mano de obra barata, precária e poco calificada"... "resistirmos à la mercantilización de la educación, à la precarización de nostro futuro laboral, la privatización de nuestros derechos"...
[para qualquer gralha na minha escrita em castelhano solicito alto grau de tolerância]|W|P|114423245084809931|W|P|Ontem, em Madrid...|W|P|mailgrandedone@gmail.com4/06/2006 02:42:00 da tarde|W|P|Blogger João Pena|W|P|Portanto, o costume.04:55|W|P|Nelson Fraga|W|P|photo
podem seguir-se os acontecimentos de ontem em toda a França através da reportagem do diário francês "Libération".|W|P|114420953095088804|W|P|Ontem em França: três-milhões-três... nas ruas|W|P|mailgrandedone@gmail.com03:34|W|P|Nelson Fraga|W|P|photo continuando a versar sobre o tema abaixo abordado pela Sandra [a perseguição (digo eu) policiesca aos downloads, trocas e cópias gratuit@s de música (e também de outros materiais) da e na internet]: quem realmente anda extremamente preocupado com tudo isso são (praticamente só) as editoras porque estas sempre foram absolutamente tacanhas na sua abordagem comercial aos novos tempos; vejamos: surgiu o cd e (com a sua massificação) atingiram-se valores astronómicos e (anteriormente) inimagináveis de vendas das editoras, ainda mais contando com as constantes vagas de revivalismo(s) [que mais não são do que inteligentes criações/manobras de marketing comercial para se conseguir vender música do passado quando novas gerações adultas já têm alguma(s) nota(s) na carteira]; seguidamente, apareceu o advento do dvd e logo tivemos mil e uma reposições de albúns musicais já anteriormente editados [mas sempre com (pequenos) extras!] e a novidade dos concertos musicais ao vivo (normalmente de bandas do passado, pois o preço de venda desses dvd's são-no apenas accessíveis para a tal nova geração adulta, já com alguma nota na carteira); agora, para breve, parece que irá surgir o blue-ray e o dvd-hd, que mais não deverão ser do que a nova[-velha] fórmula mágica de as editoras venderem o(s) mesmo(s materiais) por outras (novas-velhas) formas/suportes.
enfim, as editoras continuam a vender, a vender, a vender... preocupa-as apenas as enormes (eventuais) vendas perdidas com ess@s downloads, trocas e cópias gratuit@s de música na internet, pois as editoras não conseguem ver nisso [downloads, trocas e cópias gratuit@s de música na internet] a promoção e/ou divulgação de um projecto/banda.
se as editoras não funcionassem meramente como meras empresas (de)predadoras [vulgo, capitalistas] com o seu único objectivo a serem os lucros (sempre crescentes!) mas, pelo contrário, se as editoras fossem agentes de um mutualismo cooperativista no mundo das artes, julgo que este problema [d@s downloads, trocas e cópias gratuit@s na internet] já não se punha (pelo menos de forma tão gritante). os lucros astronómicos desde sempre auferidos pelas editoras serão investidos em apoios a novos projectos/bandas, arriscando-se em "novos modelos" e "novos sons"?? sinceramente, não me parece que assim seja.
no seguimento disto, veja-se a edição desta semana do NME [cuja capa se mostra junto deste texto], em que Thom Yorke (vocalista dos Radiohead) fala sobre o novo álbum da banda (já na forja, fique-se [ansiosamente] à espera!!!) mas sobre o assunto presente [o que agora mais nos interessa] Thom Yorke expõe algumas das verdades sobre a indústria musical: "the mainstream music business is a bunch of [fucking] retards" [como se pode ver na chamada de capa do NME] e ainda acrescenta que "the whole Arctic Monkeys phenomenon was kind of funny because it was really just the mainstream waking up to the fact that the internet exists". posteriormente Thom Yorke desdenhou [do aproveitamento sensacionalista das suas declarações, realizado nesta edição] do NME.|W|P|114420041743682711|W|P||W|P|mailgrandedone@gmail.com22:43|W|P|Sam|W|P|Fui hoje (pouco) surpreeendida com a notícia das queixas-crime apresentadas pela Associação Fonográfica Portuguesa à PJ, em virtude dos Downloads ilegais.
Depois de ler aqui a notícia, acompanhei os desenvolvimentos nos serviços noticiosos de alguns canais televisivos.
Foram entrevistadas vários representantes de editoras discográficas e um representante da SPA, e todos eles afirmavam a irreparavel lesão que o Download não pago inflige sobre o autor.
Se a possibilidade de fazer Downloads gratuitos (chamem-lhes ilegais) torna o autor (ou o seu trabalho) conhecido do público - veja-se o caso dos Artic Monkeys - e permite divulgar autores que não se encontram sob a protecção de uma editora, ora, toda esta divulgação permite ao autor (ou banda) ter mais público nos seus concertos e um maior número de concertos marcados.
Quem faz música tem um maior rendimentos com os concertos que "dá", do que com o número de CDs que vende (os direitos de autor variam entre 10% e 20% do preço do CD sem IVA, o que dá perto de 3% a cada membro da banda). O grande bolo continua a pertencer à editora, a verdadeira lesada com o Download gratuito.|W|P|114418857593938027|W|P||W|P|sandra.rodrigues@gmail.com05:23|W|P|Thor Mentor|W|P|
Avisos à navegação...
A Plataforma Coimbra Galiza já tem blog: http://plataforma-coimbra-galiza.blogspot.com/
Se se quizerem manter ao corrente do que se vai passando com este movimento vão-lhe passando os olhos.|W|P|114412501819144550|W|P|Plataforma Coimbra Galiza|W|P|tiago.js.mota@gmail.com12:44|W|P|MDA|W|P||W|P|114406483438497580|W|P|... e o 25 de Abril aproxima-se...|W|P|jacksoncage@gmail.com11:25|W|P|Nelson Fraga|W|P|organizações estudantis de diversa índole [referencio aqui apenas duas: a ACME (Asamblea Contra la Mercantilización de la Educación) e o Sindicato de Estudiantes] conseguem estar unidas no essencial: a luta por uma Universidade de qualidade e para tod@s e também para exigirem condições de trabalho dignas para tod@s (hoje como ontem mas também amanhã).
realmente para lá de Badajoz há algumas diferenças face ao lado de cá, no rectângulo de brandos costumes e à beira Atlântico plantado...|W|P|114405921629141891|W|P|amanhã no Estado Espanhol...|W|P|mailgrandedone@gmail.com4/04/2006 02:30:00 da tarde|W|P|Blogger João Pena|W|P|O que tu queres é rebaldaria e regabofe. A estes bloggers, não nos enganas.4/04/2006 03:43:00 da tarde|W|P|Anonymous AA|W|P|Por ti era porrada, manifestações e barricadas todos os dias. Com radicalismos não chegamos a lado nenhum.4/05/2006 02:22:00 da manhã|W|P|Blogger Nelson Fraga|W|P|aos/às que comentaram esta minha posta (principalmente aquel@s que primam pelo anonimato):
por favor, não falem por mim! no texto desta minha posta vem "a luta por uma Universidade de qualidade e para tod@s e também para exigirem condições de trabalho dignas para tod@s (hoje como ontem mas também amanhã)", se calhar o que faz urticária a alguma gente é o facto que noutros lados as organizações "conseguem estar unidas no essencial" [como vem no texto desta minha posta].
a luta e a contestação social não são, naturalmente, rebaldaria ou regabofe, muito menos são porrada e barricadas, ainda menos serão radicalismo. a menos que a mera contestação social legítima e justa já seja [para algumas pessoas] algo de tremendamente radical; nesse caso, aconselho a que se assumam como salazarentos, pois mais não serão do que isso ao assumirem posições e opiniões tão recuadas face a legítimas e justas reinvindcações sociais.04:41|W|P|Nelson Fraga|W|P||W|P|114403589694105092|W|P|terei perdido dois concertos (i)memor(i)áveis...|W|P|mailgrandedone@gmail.com4/04/2006 05:37:00 da manhã|W|P|Blogger Thor Mentor|W|P|Se isto pretendia ser brincadeira aviso já que um dos melhores albuns de Rock Progressivo do mundo é deste gajo.
Nome do Album: "10000 Anos Depois Entre Venus e Marte"

http://www.progarchives.com/Progressive_rock_discography_CD.asp?cd_id=35374/05/2006 01:33:00 da manhã|W|P|Blogger Nelson Fraga|W|P|qual brincadeira qual quê!!! lê-de a notícia do DN de há uns dias atrás [que não sei porquê não me aparece subinhada como ligaçaõ em "dois concertos (i)memor(i)áveis", no título da posta]: http://dn.sapo.pt/2006/04/03/artes/uma_prostituta_canora_renasce_maxime.html
sim, meu caro Thor Mentor, esse albúm magnífico da «mãe do rock português» esteve nos tops de vendas de rock progressivo no início dos anos 80 no Japão.04:17|W|P|Nelson Fraga|W|P| irmos a LX amanhã à apresentação do livro deste senhor [aqui à esquerda do texto]??|W|P|114403429821139478|W|P|e que tal...|W|P|mailgrandedone@gmail.com4/03/2006 12:47:00 da tarde|W|P|Blogger MDA|W|P|Eh pá!... Não me convences... Parece que vai lá estar o RAP.21:22|W|P|Alberto|W|P|Toca:

Einstürzende Neubauten - Dingsaller|W|P|114392310767695483|W|P||W|P|albertopereira@gmail.com--> A REPRESSÃO DOS DIREITOS DAS MULHERES!
--- A Repressão dos Direitos das Mulheres tinha como objectivo tratar as mulheres como uns meros 'úteros ambulantes'... para que... as sociedades ficassem dotadas duma VANTAGEM COMPETITIVA DEMOGRÁFICA!!!!!!
--- De facto, quando as guerras eram lutas 'corpo-a-corpo' o factor numérico ( número de combatentes disponíveis ) era de uma importância decisiva... visto que...esse factor era ( frequentemente ) determinante na decisão das Batalhas e das Guerras...

--- Depois, pela necessidade de luta pela sobrevivência... ou ... pela ambição de ocupar e dominar novos territórios... alguém fez uma nova descoberta extraordinária: --> O TABÚ-SEXO!
--- O Tabú-Sexo tinha como objectivo proporcionar uma melhor rentabilização dos Recursos Humanos da Sociedade!?!?!?!...
--- De facto, o Ser Humano não é nenhum Extraterrestre: tal como acontece com muitos outros animais mamíferos, duma maneira geral, as fêmeas humanas são 'particularmente sensíveis' para com os machos mais fortes...
--- Analisando o Tabú-Sexo:
- a sociedade dificultava o acesso das mulheres à independência económica;
- as mulheres que não casassem eram alvo de crítica social...
[ portanto... como é óbvio... as mulheres eram 'pressionadas' no sentido do Casamento ]
- não devia haver sexo antes do Casamento;
- as mulheres não deviam procurar obter prazer no sexo;
- as mulheres que se sentissem sexualmente insatisfeitas, não podiam falar nesse assunto a ninguém, pois o desempenho sexual dos machos não podia ser questionado;
- era proibido o divórcio;...
...........torna-se óbvio que o Verdadeiro Objectivo do Tabú-Sexo eram montar uma autêntica armadilha às fêmeas... de forma a que... estas fossem conduzidas a aceitar os machos sexualmente mais fracos!!!
--- Dito de outra forma, o VERDADEIRO OBJECTIVO do Tabú-Sexo era proceder à integração social dos machos mais fracos!!!

--- Nota: Quando as guerras eram lutas ' corpo-a-corpo', para além do factor numérico ser de de muita importância... frequentemente... o que decidia as guerras era a MOTIVAÇÃO com que os combatentes ( os homens ) lutavam...
--- Concluindo, ao permitir que fosse realizada uma Boa Gestão dos Recursos Humanos da Sociedade... o Tabú-Sexo fez com que... as sociedades ficassem dotadas duma VANTAGEM COMPETITIVA!!!...

MAIS:
--- Quando as batalhas eram lutas corpo-a-corpo... essas batalhas seriam autênticas carnificinas... portanto... era necessário uma grande disciplina... para não existirem homens cada um a fugir para o seu lado...
--- Ora, os responsáveis militares, da altura, não andavam a dormir... e sabiam que para se construir um exército disciplinado era necessário realizar previamente um Largo Trabalho Sociológico de Longo Prazo... no sentido de formar 'Homens Rudes'...; portanto, não é de admirar que tenham surgido na sociedade ' frases-feitas ' do tipo:
- " um homem nunca chora ";
- " não és homem não és nada se... ";
- " a tropa foi feita para os homens ";
- etc...

Que eu me lembre... eis três casos curiosos:
-1- as mulheres tinham de ficar em casa a cuidar dos filhos ( ou seja, era necessário assegurar a Capacidade de Renovação Demográfica...) , caso contrário, o inimigo impunha uma Guerra de Desgaste Demográfico... e ao fim de uma geração ( sem Renovação Demográfica do ?outro lado?... )... ganhava a guerra 'com uma perna às costas'.
-2- as viúvas não podiam voltar a casar... pois... não era nada benéfico para a moral dos combatentes... eles pensarem que... se eles viessem a morrer no campo de batalha... depois a mulher ia 'curtir' com outro...
-3- existia uma forte repressão sobre os homossexuais... visto que ... a Sociedade necessitava de 'Homens Rudes' para combater nas batalhas ( autênticas carnificinas de lutas corpo-a-corpo... ).11:26|W|P|Nelson Fraga|W|P|photo alguns/mas milhares de estudantes universitári@s de Madrid manifestaram-se contra o Processo de Bolonha.
algumas das suas frases-chave: "nuestra arma és rázon"... "la lucha és el único camino"... "no queremos que las empresas dicidén lo que se enseña en la Universidad"... "no queremos una Universidad onde só nos prometen mano de obra barata, precária e poco calificada"... "resistirmos à la mercantilización de la educación, à la precarización de nostro futuro laboral, la privatización de nuestros derechos"...
[para qualquer gralha na minha escrita em castelhano solicito alto grau de tolerância]|W|P|114423245084809931|W|P|Ontem, em Madrid...|W|P|mailgrandedone@gmail.com4/06/2006 02:42:00 da tarde|W|P|Blogger João Pena|W|P|Portanto, o costume.04:55|W|P|Nelson Fraga|W|P|photo
podem seguir-se os acontecimentos de ontem em toda a França através da reportagem do diário francês "Libération".|W|P|114420953095088804|W|P|Ontem em França: três-milhões-três... nas ruas|W|P|mailgrandedone@gmail.com03:34|W|P|Nelson Fraga|W|P|photo continuando a versar sobre o tema abaixo abordado pela Sandra [a perseguição (digo eu) policiesca aos downloads, trocas e cópias gratuit@s de música (e também de outros materiais) da e na internet]: quem realmente anda extremamente preocupado com tudo isso são (praticamente só) as editoras porque estas sempre foram absolutamente tacanhas na sua abordagem comercial aos novos tempos; vejamos: surgiu o cd e (com a sua massificação) atingiram-se valores astronómicos e (anteriormente) inimagináveis de vendas das editoras, ainda mais contando com as constantes vagas de revivalismo(s) [que mais não são do que inteligentes criações/manobras de marketing comercial para se conseguir vender música do passado quando novas gerações adultas já têm alguma(s) nota(s) na carteira]; seguidamente, apareceu o advento do dvd e logo tivemos mil e uma reposições de albúns musicais já anteriormente editados [mas sempre com (pequenos) extras!] e a novidade dos concertos musicais ao vivo (normalmente de bandas do passado, pois o preço de venda desses dvd's são-no apenas accessíveis para a tal nova geração adulta, já com alguma nota na carteira); agora, para breve, parece que irá surgir o blue-ray e o dvd-hd, que mais não deverão ser do que a nova[-velha] fórmula mágica de as editoras venderem o(s) mesmo(s materiais) por outras (novas-velhas) formas/suportes.
enfim, as editoras continuam a vender, a vender, a vender... preocupa-as apenas as enormes (eventuais) vendas perdidas com ess@s downloads, trocas e cópias gratuit@s de música na internet, pois as editoras não conseguem ver nisso [downloads, trocas e cópias gratuit@s de música na internet] a promoção e/ou divulgação de um projecto/banda.
se as editoras não funcionassem meramente como meras empresas (de)predadoras [vulgo, capitalistas] com o seu único objectivo a serem os lucros (sempre crescentes!) mas, pelo contrário, se as editoras fossem agentes de um mutualismo cooperativista no mundo das artes, julgo que este problema [d@s downloads, trocas e cópias gratuit@s na internet] já não se punha (pelo menos de forma tão gritante). os lucros astronómicos desde sempre auferidos pelas editoras serão investidos em apoios a novos projectos/bandas, arriscando-se em "novos modelos" e "novos sons"?? sinceramente, não me parece que assim seja.
no seguimento disto, veja-se a edição desta semana do NME [cuja capa se mostra junto deste texto], em que Thom Yorke (vocalista dos Radiohead) fala sobre o novo álbum da banda (já na forja, fique-se [ansiosamente] à espera!!!) mas sobre o assunto presente [o que agora mais nos interessa] Thom Yorke expõe algumas das verdades sobre a indústria musical: "the mainstream music business is a bunch of [fucking] retards" [como se pode ver na chamada de capa do NME] e ainda acrescenta que "the whole Arctic Monkeys phenomenon was kind of funny because it was really just the mainstream waking up to the fact that the internet exists". posteriormente Thom Yorke desdenhou [do aproveitamento sensacionalista das suas declarações, realizado nesta edição] do NME.|W|P|114420041743682711|W|P||W|P|mailgrandedone@gmail.com22:43|W|P|Sam|W|P|Fui hoje (pouco) surpreeendida com a notícia das queixas-crime apresentadas pela Associação Fonográfica Portuguesa à PJ, em virtude dos Downloads ilegais.
Depois de ler aqui a notícia, acompanhei os desenvolvimentos nos serviços noticiosos de alguns canais televisivos.
Foram entrevistadas vários representantes de editoras discográficas e um representante da SPA, e todos eles afirmavam a irreparavel lesão que o Download não pago inflige sobre o autor.
Se a possibilidade de fazer Downloads gratuitos (chamem-lhes ilegais) torna o autor (ou o seu trabalho) conhecido do público - veja-se o caso dos Artic Monkeys - e permite divulgar autores que não se encontram sob a protecção de uma editora, ora, toda esta divulgação permite ao autor (ou banda) ter mais público nos seus concertos e um maior número de concertos marcados.
Quem faz música tem um maior rendimentos com os concertos que "dá", do que com o número de CDs que vende (os direitos de autor variam entre 10% e 20% do preço do CD sem IVA, o que dá perto de 3% a cada membro da banda). O grande bolo continua a pertencer à editora, a verdadeira lesada com o Download gratuito.|W|P|114418857593938027|W|P||W|P|sandra.rodrigues@gmail.com05:23|W|P|Thor Mentor|W|P|
Avisos à navegação...
A Plataforma Coimbra Galiza já tem blog: http://plataforma-coimbra-galiza.blogspot.com/
Se se quizerem manter ao corrente do que se vai passando com este movimento vão-lhe passando os olhos.|W|P|114412501819144550|W|P|Plataforma Coimbra Galiza|W|P|tiago.js.mota@gmail.com12:44|W|P|MDA|W|P||W|P|114406483438497580|W|P|... e o 25 de Abril aproxima-se...|W|P|jacksoncage@gmail.com11:25|W|P|Nelson Fraga|W|P|organizações estudantis de diversa índole [referencio aqui apenas duas: a ACME (Asamblea Contra la Mercantilización de la Educación) e o Sindicato de Estudiantes] conseguem estar unidas no essencial: a luta por uma Universidade de qualidade e para tod@s e também para exigirem condições de trabalho dignas para tod@s (hoje como ontem mas também amanhã).
realmente para lá de Badajoz há algumas diferenças face ao lado de cá, no rectângulo de brandos costumes e à beira Atlântico plantado...|W|P|114405921629141891|W|P|amanhã no Estado Espanhol...|W|P|mailgrandedone@gmail.com4/04/2006 02:30:00 da tarde|W|P|Blogger João Pena|W|P|O que tu queres é rebaldaria e regabofe. A estes bloggers, não nos enganas.4/04/2006 03:43:00 da tarde|W|P|Anonymous AA|W|P|Por ti era porrada, manifestações e barricadas todos os dias. Com radicalismos não chegamos a lado nenhum.4/05/2006 02:22:00 da manhã|W|P|Blogger Nelson Fraga|W|P|aos/às que comentaram esta minha posta (principalmente aquel@s que primam pelo anonimato):
por favor, não falem por mim! no texto desta minha posta vem "a luta por uma Universidade de qualidade e para tod@s e também para exigirem condições de trabalho dignas para tod@s (hoje como ontem mas também amanhã)", se calhar o que faz urticária a alguma gente é o facto que noutros lados as organizações "conseguem estar unidas no essencial" [como vem no texto desta minha posta].
a luta e a contestação social não são, naturalmente, rebaldaria ou regabofe, muito menos são porrada e barricadas, ainda menos serão radicalismo. a menos que a mera contestação social legítima e justa já seja [para algumas pessoas] algo de tremendamente radical; nesse caso, aconselho a que se assumam como salazarentos, pois mais não serão do que isso ao assumirem posições e opiniões tão recuadas face a legítimas e justas reinvindcações sociais.04:41|W|P|Nelson Fraga|W|P||W|P|114403589694105092|W|P|terei perdido dois concertos (i)memor(i)áveis...|W|P|mailgrandedone@gmail.com4/04/2006 05:37:00 da manhã|W|P|Blogger Thor Mentor|W|P|Se isto pretendia ser brincadeira aviso já que um dos melhores albuns de Rock Progressivo do mundo é deste gajo.
Nome do Album: "10000 Anos Depois Entre Venus e Marte"

http://www.progarchives.com/Progressive_rock_discography_CD.asp?cd_id=35374/05/2006 01:33:00 da manhã|W|P|Blogger Nelson Fraga|W|P|qual brincadeira qual quê!!! lê-de a notícia do DN de há uns dias atrás [que não sei porquê não me aparece subinhada como ligaçaõ em "dois concertos (i)memor(i)áveis", no título da posta]: http://dn.sapo.pt/2006/04/03/artes/uma_prostituta_canora_renasce_maxime.html
sim, meu caro Thor Mentor, esse albúm magnífico da «mãe do rock português» esteve nos tops de vendas de rock progressivo no início dos anos 80 no Japão.04:17|W|P|Nelson Fraga|W|P| irmos a LX amanhã à apresentação do livro deste senhor [aqui à esquerda do texto]??|W|P|114403429821139478|W|P|e que tal...|W|P|mailgrandedone@gmail.com4/03/2006 12:47:00 da tarde|W|P|Blogger MDA|W|P|Eh pá!... Não me convences... Parece que vai lá estar o RAP.21:22|W|P|Alberto|W|P|Toca:

Einstürzende Neubauten - Dingsaller|W|P|114392310767695483|W|P||W|P|albertopereira@gmail.com--> A REPRESSÃO DOS DIREITOS DAS MULHERES!
--- A Repressão dos Direitos das Mulheres tinha como objectivo tratar as mulheres como uns meros 'úteros ambulantes'... para que... as sociedades ficassem dotadas duma VANTAGEM COMPETITIVA DEMOGRÁFICA!!!!!!
--- De facto, quando as guerras eram lutas 'corpo-a-corpo' o factor numérico ( número de combatentes disponíveis ) era de uma importância decisiva... visto que...esse factor era ( frequentemente ) determinante na decisão das Batalhas e das Guerras...

--- Depois, pela necessidade de luta pela sobrevivência... ou ... pela ambição de ocupar e dominar novos territórios... alguém fez uma nova descoberta extraordinária: --> O TABÚ-SEXO!
--- O Tabú-Sexo tinha como objectivo proporcionar uma melhor rentabilização dos Recursos Humanos da Sociedade!?!?!?!...
--- De facto, o Ser Humano não é nenhum Extraterrestre: tal como acontece com muitos outros animais mamíferos, duma maneira geral, as fêmeas humanas são 'particularmente sensíveis' para com os machos mais fortes...
--- Analisando o Tabú-Sexo:
- a sociedade dificultava o acesso das mulheres à independência económica;
- as mulheres que não casassem eram alvo de crítica social...
[ portanto... como é óbvio... as mulheres eram 'pressionadas' no sentido do Casamento ]
- não devia haver sexo antes do Casamento;
- as mulheres não deviam procurar obter prazer no sexo;
- as mulheres que se sentissem sexualmente insatisfeitas, não podiam falar nesse assunto a ninguém, pois o desempenho sexual dos machos não podia ser questionado;
- era proibido o divórcio;...
...........torna-se óbvio que o Verdadeiro Objectivo do Tabú-Sexo eram montar uma autêntica armadilha às fêmeas... de forma a que... estas fossem conduzidas a aceitar os machos sexualmente mais fracos!!!
--- Dito de outra forma, o VERDADEIRO OBJECTIVO do Tabú-Sexo era proceder à integração social dos machos mais fracos!!!

--- Nota: Quando as guerras eram lutas ' corpo-a-corpo', para além do factor numérico ser de de muita importância... frequentemente... o que decidia as guerras era a MOTIVAÇÃO com que os combatentes ( os homens ) lutavam...
--- Concluindo, ao permitir que fosse realizada uma Boa Gestão dos Recursos Humanos da Sociedade... o Tabú-Sexo fez com que... as sociedades ficassem dotadas duma VANTAGEM COMPETITIVA!!!...

MAIS:
--- Quando as batalhas eram lutas corpo-a-corpo... essas batalhas seriam autênticas carnificinas... portanto... era necessário uma grande disciplina... para não existirem homens cada um a fugir para o seu lado...
--- Ora, os responsáveis militares, da altura, não andavam a dormir... e sabiam que para se construir um exército disciplinado era necessário realizar previamente um Largo Trabalho Sociológico de Longo Prazo... no sentido de formar 'Homens Rudes'...; portanto, não é de admirar que tenham surgido na sociedade ' frases-feitas ' do tipo:
- " um homem nunca chora ";
- " não és homem não és nada se... ";
- " a tropa foi feita para os homens ";
- etc...

Que eu me lembre... eis três casos curiosos:
-1- as mulheres tinham de ficar em casa a cuidar dos filhos ( ou seja, era necessário assegurar a Capacidade de Renovação Demográfica...) , caso contrário, o inimigo impunha uma Guerra de Desgaste Demográfico... e ao fim de uma geração ( sem Renovação Demográfica do ?outro lado?... )... ganhava a guerra 'com uma perna às costas'.
-2- as viúvas não podiam voltar a casar... pois... não era nada benéfico para a moral dos combatentes... eles pensarem que... se eles viessem a morrer no campo de batalha... depois a mulher ia 'curtir' com outro...
-3- existia uma forte repressão sobre os homossexuais... visto que ... a Sociedade necessitava de 'Homens Rudes' para combater nas batalhas ( autênticas carnificinas de lutas corpo-a-corpo... ).11:26|W|P|Nelson Fraga|W|P|photo alguns/mas milhares de estudantes universitári@s de Madrid manifestaram-se contra o Processo de Bolonha.
algumas das suas frases-chave: "nuestra arma és rázon"... "la lucha és el único camino"... "no queremos que las empresas dicidén lo que se enseña en la Universidad"... "no queremos una Universidad onde só nos prometen mano de obra barata, precária e poco calificada"... "resistirmos à la mercantilización de la educación, à la precarización de nostro futuro laboral, la privatización de nuestros derechos"...
[para qualquer gralha na minha escrita em castelhano solicito alto grau de tolerância]|W|P|114423245084809931|W|P|Ontem, em Madrid...|W|P|mailgrandedone@gmail.com4/06/2006 02:42:00 da tarde|W|P|Blogger João Pena|W|P|Portanto, o costume.04:55|W|P|Nelson Fraga|W|P|photo
podem seguir-se os acontecimentos de ontem em toda a França através da reportagem do diário francês "Libération".|W|P|114420953095088804|W|P|Ontem em França: três-milhões-três... nas ruas|W|P|mailgrandedone@gmail.com03:34|W|P|Nelson Fraga|W|P|photo continuando a versar sobre o tema abaixo abordado pela Sandra [a perseguição (digo eu) policiesca aos downloads, trocas e cópias gratuit@s de música (e também de outros materiais) da e na internet]: quem realmente anda extremamente preocupado com tudo isso são (praticamente só) as editoras porque estas sempre foram absolutamente tacanhas na sua abordagem comercial aos novos tempos; vejamos: surgiu o cd e (com a sua massificação) atingiram-se valores astronómicos e (anteriormente) inimagináveis de vendas das editoras, ainda mais contando com as constantes vagas de revivalismo(s) [que mais não são do que inteligentes criações/manobras de marketing comercial para se conseguir vender música do passado quando novas gerações adultas já têm alguma(s) nota(s) na carteira]; seguidamente, apareceu o advento do dvd e logo tivemos mil e uma reposições de albúns musicais já anteriormente editados [mas sempre com (pequenos) extras!] e a novidade dos concertos musicais ao vivo (normalmente de bandas do passado, pois o preço de venda desses dvd's são-no apenas accessíveis para a tal nova geração adulta, já com alguma nota na carteira); agora, para breve, parece que irá surgir o blue-ray e o dvd-hd, que mais não deverão ser do que a nova[-velha] fórmula mágica de as editoras venderem o(s) mesmo(s materiais) por outras (novas-velhas) formas/suportes.
enfim, as editoras continuam a vender, a vender, a vender... preocupa-as apenas as enormes (eventuais) vendas perdidas com ess@s downloads, trocas e cópias gratuit@s de música na internet, pois as editoras não conseguem ver nisso [downloads, trocas e cópias gratuit@s de música na internet] a promoção e/ou divulgação de um projecto/banda.
se as editoras não funcionassem meramente como meras empresas (de)predadoras [vulgo, capitalistas] com o seu único objectivo a serem os lucros (sempre crescentes!) mas, pelo contrário, se as editoras fossem agentes de um mutualismo cooperativista no mundo das artes, julgo que este problema [d@s downloads, trocas e cópias gratuit@s na internet] já não se punha (pelo menos de forma tão gritante). os lucros astronómicos desde sempre auferidos pelas editoras serão investidos em apoios a novos projectos/bandas, arriscando-se em "novos modelos" e "novos sons"?? sinceramente, não me parece que assim seja.
no seguimento disto, veja-se a edição desta semana do NME [cuja capa se mostra junto deste texto], em que Thom Yorke (vocalista dos Radiohead) fala sobre o novo álbum da banda (já na forja, fique-se [ansiosamente] à espera!!!) mas sobre o assunto presente [o que agora mais nos interessa] Thom Yorke expõe algumas das verdades sobre a indústria musical: "the mainstream music business is a bunch of [fucking] retards" [como se pode ver na chamada de capa do NME] e ainda acrescenta que "the whole Arctic Monkeys phenomenon was kind of funny because it was really just the mainstream waking up to the fact that the internet exists". posteriormente Thom Yorke desdenhou [do aproveitamento sensacionalista das suas declarações, realizado nesta edição] do NME.|W|P|114420041743682711|W|P||W|P|mailgrandedone@gmail.com22:43|W|P|Sam|W|P|Fui hoje (pouco) surpreeendida com a notícia das queixas-crime apresentadas pela Associação Fonográfica Portuguesa à PJ, em virtude dos Downloads ilegais.
Depois de ler aqui a notícia, acompanhei os desenvolvimentos nos serviços noticiosos de alguns canais televisivos.
Foram entrevistadas vários representantes de editoras discográficas e um representante da SPA, e todos eles afirmavam a irreparavel lesão que o Download não pago inflige sobre o autor.
Se a possibilidade de fazer Downloads gratuitos (chamem-lhes ilegais) torna o autor (ou o seu trabalho) conhecido do público - veja-se o caso dos Artic Monkeys - e permite divulgar autores que não se encontram sob a protecção de uma editora, ora, toda esta divulgação permite ao autor (ou banda) ter mais público nos seus concertos e um maior número de concertos marcados.
Quem faz música tem um maior rendimentos com os concertos que "dá", do que com o número de CDs que vende (os direitos de autor variam entre 10% e 20% do preço do CD sem IVA, o que dá perto de 3% a cada membro da banda). O grande bolo continua a pertencer à editora, a verdadeira lesada com o Download gratuito.|W|P|114418857593938027|W|P||W|P|sandra.rodrigues@gmail.com05:23|W|P|Thor Mentor|W|P|
Avisos à navegação...
A Plataforma Coimbra Galiza já tem blog: http://plataforma-coimbra-galiza.blogspot.com/
Se se quizerem manter ao corrente do que se vai passando com este movimento vão-lhe passando os olhos.|W|P|114412501819144550|W|P|Plataforma Coimbra Galiza|W|P|tiago.js.mota@gmail.com12:44|W|P|MDA|W|P||W|P|114406483438497580|W|P|... e o 25 de Abril aproxima-se...|W|P|jacksoncage@gmail.com11:25|W|P|Nelson Fraga|W|P|organizações estudantis de diversa índole [referencio aqui apenas duas: a ACME (Asamblea Contra la Mercantilización de la Educación) e o Sindicato de Estudiantes] conseguem estar unidas no essencial: a luta por uma Universidade de qualidade e para tod@s e também para exigirem condições de trabalho dignas para tod@s (hoje como ontem mas também amanhã).
realmente para lá de Badajoz há algumas diferenças face ao lado de cá, no rectângulo de brandos costumes e à beira Atlântico plantado...|W|P|114405921629141891|W|P|amanhã no Estado Espanhol...|W|P|mailgrandedone@gmail.com4/04/2006 02:30:00 da tarde|W|P|Blogger João Pena|W|P|O que tu queres é rebaldaria e regabofe. A estes bloggers, não nos enganas.4/04/2006 03:43:00 da tarde|W|P|Anonymous AA|W|P|Por ti era porrada, manifestações e barricadas todos os dias. Com radicalismos não chegamos a lado nenhum.4/05/2006 02:22:00 da manhã|W|P|Blogger Nelson Fraga|W|P|aos/às que comentaram esta minha posta (principalmente aquel@s que primam pelo anonimato):
por favor, não falem por mim! no texto desta minha posta vem "a luta por uma Universidade de qualidade e para tod@s e também para exigirem condições de trabalho dignas para tod@s (hoje como ontem mas também amanhã)", se calhar o que faz urticária a alguma gente é o facto que noutros lados as organizações "conseguem estar unidas no essencial" [como vem no texto desta minha posta].
a luta e a contestação social não são, naturalmente, rebaldaria ou regabofe, muito menos são porrada e barricadas, ainda menos serão radicalismo. a menos que a mera contestação social legítima e justa já seja [para algumas pessoas] algo de tremendamente radical; nesse caso, aconselho a que se assumam como salazarentos, pois mais não serão do que isso ao assumirem posições e opiniões tão recuadas face a legítimas e justas reinvindcações sociais.04:41|W|P|Nelson Fraga|W|P||W|P|114403589694105092|W|P|terei perdido dois concertos (i)memor(i)áveis...|W|P|mailgrandedone@gmail.com4/04/2006 05:37:00 da manhã|W|P|Blogger Thor Mentor|W|P|Se isto pretendia ser brincadeira aviso já que um dos melhores albuns de Rock Progressivo do mundo é deste gajo.
Nome do Album: "10000 Anos Depois Entre Venus e Marte"

http://www.progarchives.com/Progressive_rock_discography_CD.asp?cd_id=35374/05/2006 01:33:00 da manhã|W|P|Blogger Nelson Fraga|W|P|qual brincadeira qual quê!!! lê-de a notícia do DN de há uns dias atrás [que não sei porquê não me aparece subinhada como ligaçaõ em "dois concertos (i)memor(i)áveis", no título da posta]: http://dn.sapo.pt/2006/04/03/artes/uma_prostituta_canora_renasce_maxime.html
sim, meu caro Thor Mentor, esse albúm magnífico da «mãe do rock português» esteve nos tops de vendas de rock progressivo no início dos anos 80 no Japão.04:17|W|P|Nelson Fraga|W|P| irmos a LX amanhã à apresentação do livro deste senhor [aqui à esquerda do texto]??|W|P|114403429821139478|W|P|e que tal...|W|P|mailgrandedone@gmail.com4/03/2006 12:47:00 da tarde|W|P|Blogger MDA|W|P|Eh pá!... Não me convences... Parece que vai lá estar o RAP.21:22|W|P|Alberto|W|P|Toca:

Einstürzende Neubauten - Dingsaller|W|P|114392310767695483|W|P||W|P|albertopereira@gmail.com-->